Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Os Memoriais de 11 de Setembro nos Estados Unidos

6 de setembro de 2011

Os 110 andares das Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York, darão lugar a duas fontes d’água cercadas pelos nomes de 2.977 pessoas mortas no atentado terrorista de 11 de setembro de 2001 e outras seis atingidas pela bomba detonada no local em 1993. Esse monumento será aberto à visitação pública no próximo dia 12, depois das homenagens do décimo aniversário do maior acontecimento do começo do milênio.


O memorial começou a ser planejado em 2003, com uma disputa entre oito projetos diferentes para o local. A construção começou para valer em 2006. Antes do dia 12, um pequeno museu ao lado conta um pouco da história dos atentados às torres e ao Pentágono, além de vender suvenires. Estão à venda bonés, camisetas, pulseiras e até ímãs de geladeira relacionados ao ataque.

Os nomes das vítimas não estão em ordem alfabética: a divisão foi feita de acordo com o motivo de a pessoa estar no local durante a queda dos aviões. Os grupos são de funcionários e visitantes das Torres Gêmeas, heróis que faleceram durante o resgate, passageiros dos voos e pessoas que estavam no Pentágono, em Virgínia, também atingido no mesmo dia.

Todo ano, desde 2002, 88 holofotes são apontados para o céu em 11 de setembro ao redor do terreno do World Trade Center. A homenagem, chamada Tribute in Light, tem seu final programado para o décimo aniversário do ataque, no próximo domingo. No ano passado, as fortes luzes atordoaram dez mil pássaros que migravam do Canadá para a América do Sul e tiveram que ser desligadas.

Um museu será inaugurado no ano que vem com mais informações sobre o episódio. Enquanto isso, o endereço do WTC está em obras. Serão construídos quatro novos arranha-céus no local, a um custo total de 11 bilhões de dólares. Por esse motivo, mesmo depois da próxima segunda-feira, as visitas ainda serão limitadas. Quem quiser conhecer o local deve se cadastrar nesta página e agendar um horário.

O National September 11 Memorial não é o único monumento dedicado aos mortos daquele dia. O local onde caiu o voo 93 da United Airlines, um dos sequestrados pelos terroristas, foi a pequena cidade de Stonycreek Township, na Pensilvânia. Lá, existe um parque que presta uma homenagem aos 40 passageiros do avião. Até 2005, 150 mil pessoas tinham visitado a área (a cidade tem cerca de 2.500 habitantes).

Aberto ao público em 2008, o Pentagon Memorial lembra as vítimas do ataque ao Pentágono com 184 bancos iluminados, cada um com o nome de uma pessoa morta na ocasião. Dentro do prédio, existe uma capela  no local atingido pelo voo 77 da American Airlines. Lá, um painel negro chamado “America’s Heroes Memorial” também traz uma lista com os nomes.

Phoenix, no Arizona, também tem seu memorial, que foi acusado de ser pró-Islã por causa de seu formato de lua crescente. Outro detalhe polêmico são as frases inscritas em uma placa de metal e ampliadas pela luz solar. Algumas delas são: “Não dá para vencer batalhas de terrorismo com mais batalhas” e “Violência no Oriente Médio motiva ataques nos EUA”.

“Lágrima de luto” é um dos outros nomes do monumento “Para a luta contra o terrorismo mundial”, esculpido por Zurab Tsereteli e dado como presente oficial da Rússia para os Estados Unidos. Instalada em Nova Jersey, a obra é uma grande lágrima de aço inoxidável rodeada por placas com os nomes das vítimas dos ataques.
Também em Nova Jersey, o memorial Empty Sky será inaugurado no dia 10 deste mês. Terá duas paredes apontadas para o terreno do World Trade Center com o nome das 745 vítimas que eram daquele Estado. O nome é inspirado na música “Empty Sky”, de Bruce Springsteen.

Em tempo: o site Internet Archive disponibiliza aos visitantes aproximadamente 3 mil horas de vídeo gravadas de 20 canais de TV de vários países durante a semana entre 11 e 18 de setembro de 2001.

Web Stories

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Azul da bandeira da França volta ao tom original

Azul da bandeira da França volta ao tom original

A bandeira tricolor francesa passou por uma mudança em novembro de 2021. O presidente Emmanuel Macron ordenou a alteração do azul para o tom original, mais escuro, de 1789. Em 1976, a França tinha adotado um tom de azul mais próximo ao da bandeira da União Europeia,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
Qual é a origem do Creme Nivea? Você conhece o axolote, o “monstro aquático”? As pioneiras da ficção Científica A bandeira brasileira com uma estrela vermelha