Guerra de Troia: verdade ou lenda?

30 de abril de 2021

A data é 24 de abril de 1.184 a. C.. O evento é a Guerra de Troia – que foi considerada encerrada nessa data. Porém, esse não é o mais incrível. A própria existência de Troia era uma impossibilidade, não existiu e pronto, é só Mitologia. Talvez… espere, vamos conhecer esses mitos primeiro com o professor Warde Marx, especial para o “Olá, Curiosos!”:

Prev 1 of 1 Next
Prev 1 of 1 Next

Zeus convidou todos os deuses para um banquete no Olimpo. Ou melhor, quase todos. Éris, a deusa da discórdia, ficou de fora – por motivos óbvios. Ela, que era uma peste, escreveu numa maçã de ouro “para a mais bela” e a atirou sobre a mesa do banquete. Afrodite, deusa da beleza e do sexo, Atená, deusa da sabedoria, e Hera, deusa da família, mulher de Zeus e rainha dos deuses, adiantaram-se para pegar a maçã. As três pediram para Zeus decidir então com quem ficaria a maçã de ouro. Zeus, que não era bobo, apontou um jovem na Terra e ordenou: “Perguntem para ele”.

Hera ofereceu ao rapaz, chamado Páris, o governo de toda a Ásia. Atená disse que iria torná-lo o mais sábio dos homens. Afrodite lhe ofereceu o amor da mais bela mulher – e ganhou. Afrodite lhe disse: “Vá até Esparta e encontre seu amor, Helena, casada com o rei Menelau”. Quando Páris chegou, Menelau disse: “Vou fazer uma viagem, volto em poucos dias”. Encantado pela deusa, Páris fugiu com Helena. Ele era príncipe de Troia. Menelau volta e reúne todos os estados gregos numa confederação para resgatar Helena e destruir Troia. Assim, lançaram-se ao mar 1 mil navios, cheios de guerreiros. A luta durou dez anos.

Terminou quando Odisseus, o mais esperto dos gregos, inventou a história do cavalo de madeira. Era imenso. Os gregos o deixaram às portas da cidade, embarcaram e fingiram ir embora. Os troianos puseram o cavalo para dentro dos muros e começaram a festejar o dia da vitória. Durante a noite, gregos escondidos na oferenda saíram, abriram os portões e foi um massacre. Nenhum homem troiano sobreviveu. Essa teria sido a madrugada de 24 de abril de 1.184 a.C..

O primeiro grande poema épico ocidental foi exatamente a “Ilíada” (porque Troia, em grego, é Ílion), de autoria atribuída a Homero, que trata de parte dessa guerra. Os gregos da era clássica (por volta dos séculos VI e V a. C.) acreditavam que a Guerra de Troia era um fato histórico – porém, os relatos, como os de Homero, seriam exagerados. Um dos primeiros e mais famosos historiadores da Antiguidade, Tucídides, era um desses – para ele, colocar 1 mil navios em ação seria, digamos, “um pouco meio muito exagerado”.

Até o século XIX, arqueólogos e historiadores sérios tinham a coisa da lenda como certa. Foi aí apareceu o alemão Heinrich Schliemann, que era fanático pelos relatos sobre Troia e Micenas, outra grande civilização grega da mesma época. Fanático desde criança pelo assunto, ele leu tudo o que existia, aprendeu grego moderno e clássico, até casou-se com uma grega! Por volta de 1870, Schliemann fez escavações na Turquia e na Grécia, atrás de Troia e Micenas, acompanhando os relatos – tanto históricos quanto mitológicos. E não é que o danado encontrou as duas! Troia ainda mostrou ser uma pilha de cidades! Nove ao todo. A chamada Troia VIIb, que existiu entre 1260 e 1100 a. C., tem referências de que ali houve uma guerra. As datas batem, as escavações conferem… Mas é lenda… claro… será?

Leia também:
Como foi a Guerra de Troia
Tróia existiu?

 

Artigos Relacionados

Como as alheiras salvaram judeus em Portugal?

Como as alheiras salvaram judeus em Portugal?

Península Ibérica, 1492. Portugal já tinha livrado seu território da dominação muçulmana. Agora era a vez da Espanha fazer o mesmo. Por isso, depois de séculos de dominação islâmica, os espanhóis imaginavam que o melhor seria afastar qualquer outra influência não...

Dia do Teatro: quem foi o primeiro ator da História

Dia do Teatro: quem foi o primeiro ator da História

Nosso calendário registra o dia 21 de março como Dia Universal do Teatro. E o dia 27 de março é o Dia Mundial do Teatro e o Dia do Circo. Temos mais duas ou três datas sobre isso no calendário. Para uma atividade ter tantas datas comemorativas é porque, como diz o...

O Calendário Gregoriano e os 10 dias que não existiram

O Calendário Gregoriano e os 10 dias que não existiram

Até o século XVI, nós vivíamos sob as regras do Calendário Juliano, instituído pelo imperador Júlio César. Só que esse calendário tinha uma série de erros. Ele foi substituído pelo Calendário Gregoriano, mandado fazer pelo Papa Gregório XIII e que começou a ser...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This