Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Curiosidades sobre gueixas

15 de setembro de 2020

No início do século XX, havia 80 mil gueixas no Japão. Hoje são apenas duas mil. A influência do Ocidente é o principal motivo do desinteresse das japonesas pela profissão. 

As gueixas são mulheres japonesas que estudam a arte da sedução, da dança, do canto e do entretenimento. 

A palavra que as batiza significa “pessoa de artes”. 

Essas acompanhantes de luxo não são prostitutas. Essa percepção errada se disseminou após a ocupação norte-americana no Japão. Na época, diante da miséria que assolava o país, muitas gueixas começaram a vender seu corpo. Hoje em dia, algumas ainda o fazem, mas esse não é o objetivo da profissão. 

Entre os séculos XVIII e XIX, as famílias pobres japonesas costumavam vender suas filhas para casas de gueixas. 

O treinamento para se tornar uma gueixa dura muitos anos. O aprendiza- do tem início na adolescência, num internato chamado Okiya, onde meninas de 13 a 15 anos aprendem, entre outras coisas, a tocar shamisen (espécie de banjo), a preparar-se para a cerimônia do chá e a desenhar ideogramas. 

Os serviços de gueixa custavam caro. Por isso, apenas figurões — empresários ricos e membros da máfia — podiam contratá-las. 

Em 2005, o diretor Rob Marshall levou para as telas a adaptação do livro “Memórias de uma gueixa”. A obra de Arthur Golden é um romance sobre uma menina de olhos azuis que se torna uma influente gueixa.

Web Stories

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Azul da bandeira da França volta ao tom original

Azul da bandeira da França volta ao tom original

A bandeira tricolor francesa passou por uma mudança em novembro de 2021. O presidente Emmanuel Macron ordenou a alteração do azul para o tom original, mais escuro, de 1789. Em 1976, a França tinha adotado um tom de azul mais próximo ao da bandeira da União Europeia,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
Você conhece o axolote, o “monstro aquático”? As pioneiras da ficção Científica A bandeira brasileira com uma estrela vermelha Futebol e guerra