Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Curiosidades sobre naufrágios na costa brasileira

24 de abril de 2019
  1. Um dos maiores cemitérios de navios do Brasil é o Maranhão, onde está o maior banco de corais da América do Sul. Com o tempo os barcos afundados se transformam em recifes artificiais.
  2. Até o século XVIII a má qualidade da madeira das embarcações era a grande causa de naufrágios. Já nos mares do Brasil barcos eram afundados propositalmente para eliminar as provas do tráfico de escravos. Depois de desembarcarem os negros, os navios eram queimados e afundavam perto da costa.
  3. Os objetos que estão nos navios naufragados não podem ser simplesmente retirados da água. Os estudiosos devem colocá-los em saquinhos com a água do local. Sem esse procedimento eles começam a se degradar no mesmo instante em que entram em contato com o ar.
  4. A embarcação mais antiga já encontrada na costa brasileira é da nau de Gonçalo Coelho, de 1503. Ela fazia parte da expedição de Américo Vespúcio, tinha três mastros e levava uma tripulação de 240 homens. Ela foi encontrada em Fernando de Noronha e está intacta, protegida por sedimentos.
  5. O navio Príncipe de Astúrias, apelidado de “Titanic brasileiro”, ia de Madri, Espanha, para Buenos Aires, Argentina, em 1916. Naufragou sob forte tempestade no litoral de Ilhabela (SP) depois de bater nas rochas. Morreram 477 pessoas.
  6. Para gerar recifes artificiais no fundo do mar e atrair mais turistas, algumas prefeituras de cidades turísticas do litoral do Brasil pedem autorização do Ibama para afundar navios. Antes de autorizar o naufrágio forçado, a instituição analisa os riscos do impacto ambiental.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Qual é o colégio mais antigo do Brasil?

Qual é o colégio mais antigo do Brasil?

Os colégios mais antigos do país ainda em atividade foram todos fundados ainda na época do Império. O primeiro da lista é o Ginásio Pernambucano, instituição de ensino médio de Recife, que abriu as portas em 1825. Há uma discussão aí sobre a primazia porque a escola...

Livros homenageiam Independência do Brasil

Livros homenageiam Independência do Brasil

O jornalista Marcelo Duarte apresenta dois lançamentos que comemoram a Independência do Brasil. "Memória póstumas do burro da Independência", dedicado ao público infantil (que os papais vão se divertir também) e "Independência ou zero!", uma nova aventura juvenil do...

Pedro Labatut: o militar que virou bicho-papão

Pedro Labatut: o militar que virou bicho-papão

Ele nasceu na cidade de Cannes, França, em 1776 e lutou nas forças de Napoleão Bonaparte. Seu nome era Pierre Labatut ou, como acabou ficando conhecido no Brasil, Pedro Labatut. O que um militar francês veio fazer no Brasil? "Aí tem História", diz o professor Warde...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This