Os colégios mais antigos do país ainda em atividade foram todos fundados ainda na época do Império. O primeiro da lista é o Ginásio Pernambucano, instituição de ensino médio de Recife, que abriu as portas em 1825. Há uma discussão aí sobre a primazia porque a escola surgiu com o nome de Liceu Provincial de Pernambuco. Ela só se transformou em Ginásio Pernambucano em 14 de maio de 1855. Também já se chamou Instituto Benjamin Constant (1893) e Colégio Pernambucano (1942) antes de voltar a ter seu nome mais conhecido (1974). Continua em atividade.

Ginásio Pernambucano, instituição de ensino médio de Recife

Antes do Ginásio Pernambucano ganhar o nome de Ginásio Pernambucano, outros colégios apareceram. A segunda escola mais antiga do Brasil – ou a primeira que nunca trocou de nome – é o Colégio Atheneu Norte-Riograndense, de Natal, fundada em 03 de fevereiro de 1834.

Colégio Atheneu Norte-Riograndense, de Natal

O Imperial Colégio Pedro II foi inaugurado em 02 de dezembro de 1837, data em que o imperador homenageado completava 12 anos. As aulas só tiveram início em março de 1838. A escola também teve outros dois nomes depois que houve a proclamação da República: Instituto Nacional de Instrução Secundária e Ginásio Nacional. Voltou a ser Colégio Pedro II em 1911.

imperial Colégio Pedro II

O Liceu do Ceará começou a funcionar em 19 de outubro de 1845. No ano seguinte, o Liceu de Goiás – ou Lyceu de Goyaz, com se escrevia na época – abriu as portas na Cidade de Goiás, antiga capital do Estado.

Os paraenses colocam nessa lista também o Colégio Gentil Bittencourt, que fica no bairro de Nazaré, em Belém. Fundado em 10 de junho de 1804, com o nome de Colégio de Nossa Senhora do Amparo,  ele servia de abrigo educacional para meninas indígenas do interior do Estado. Passou a ser uma Escola Normal em 1874. Ganhou o nome atual em 1897. Funciona ininterruptamente desde a abertura das portas.