No romance 1889 – Como um imperador cansado, um marechal vaidoso e um professor injustiçado contribuíram para o fim da monarquia e a proclamação da República no Brasil”, o jornalista Laurentino Gomes traz à tona a história de uma bandeira brasileira praticamente desconhecida. Além do símbolo da monarquia, ela estampava uma estrela vermelha.

bandeira do Brasil com a estrela vermelha

O fato aconteceu em 17 de novembro de 1889, dois dias depois da queda do imperador Dom Pedro II. Na ocasião, o cruzador Almirante Barroso, da Marinha Brasileira, numa expedição que previa a volta ao mundo em menos de dois anos, estava atracado no porto de Colombo, capital do Ceilão (atual Sri Lanka). O comandante Custódio José de Melo recebeu um telegrama notificando-o da Proclamação da República e dos procedimentos a serem adotados em relação à bandeira imperial hasteada na embarcação. A informação era clara: a coroa nela desenhada deveria ser substituída por uma estrela vermelha até que a nova bandeira republicana fosse entregue à tripulação, o que, de acordo com o especialista Tiago José Berg, só aconteceria 5 meses mais tarde, em 8 de abril de 1890.

Mas por que uma estrela vermelha? Porque na época esse era um símbolo com significado bem diferente do atual. Se hoje a estrela costuma ser associada à Revolução Russa (1917), aos regimes comunistas do século XX ou, no caso brasileiro, ao Partido dos Trabalhadores, naquele tempo ela era uma representação republicana. A cor vermelha ganhou esse sentido depois da Comuna de Paris, lembrando a cor tradicional do barrete frígio, típico chapéu utilizado pelos revolucionários franceses de 1789. Em solo brasileiro, a estrela vermelha já havia sido utilizada pelos líderes da Conjuração Baiana, em 1798, um movimento republicano reprimido pela Coroa de Portugal, metrópole do Brasil naquele período.

Leia também:
Curiosidades sobre a bandeira do Brasil
Os 500 anos da bandeira brasileira
Brasil já teve bandeira parecida com a dos Confederados americanos
Projetos curiosos para a bandeira brasileira que não foram aprovados

Conheça o livro “Bandeiras de todos os países do mundo”