Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Maluquices na história olímpica

24 de abril de 2019
  1. Em 1896, na 1ª Olimpíada da era moderna, o príncipe grego Constantino invadiu a pista de corrida e percorreu os metros finais da maratona ao lado do corredor Spyridon Louis, seu compatriota e vencedor da prova.
  2. O estudante Michel LeDuc correu nu pelo gramado do estádio durante a cerimônia de encerramento da Olimpíada de Montreal (1976). Ele dançou e fez graça para a plateia até ser detido pelos policiais presentes no local.
  3. Outro pelado driblou a segurança e interrompeu a partida de futebol feminino disputada entre Brasil e Austrália nos Jogos de Sydney, em 2000. O maluco foi recolhido pela polícia, e as brasileiras ganharam o jogo por 2 a 1.
  4. Também em 2000, um torcedor invadiu o campo de beisebol onde o Japão enfrentava os EUA e correu para uma das bases sob o aplauso da plateia. Sorte que o jogo já havia sido interrompido por causa de uma forte chuva. O “invasor” foi retirado pela organização do evento.
  5. Nos Jogos Olímpicos de Atenas (2004), um espectador canadense furou a segurança e invadiu a piscina onde ocorria a disputa de saltos ornamentais. Ele pulou do trampolim de 3 metros vestido com uma saia de balé e com um anúncio de um site de cassino pintado no peito. Acabou sendo condenado a três meses de prisão, mas foi liberado sob condicional. O invasor já havia interrompido uma apresentação de patinação artística do Campeonato Mundial, disputado em março de 2004 em Dortmund (Alemanha).
  6. O corredor brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima liderava com folga a maratona das Olimpíadas de 2004 quando um irlandês vestido com roupas típicas invadiu a pista e o arrastou para fora do percurso. Socorrido pelo espectador grego Polyvios Kossivas, o atleta conseguiu se libertar e continuar a corrida. Mesmo assim, Vanderlei perdeu o ritmo e acabou a prova em terceiro. O agressor, o ex-padre Cornelius Horan, já havia feito algo similar no final do Grande Prêmio da Inglaterra de F-1 de 2003. Em ambas as ocasiões ele queria divulgar uma mensagem religiosa. Foi preso, mas pagou uma fiança de 3 mil euros e acabou sendo liberado.

Conheça os livros:
O Guia dos Curiosos – Jogos Olímpicos
Infográficos Olímpicos

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Mascotes das Olimpíadas de Verão

Mascotes das Olimpíadas de Verão

Waldi Munique, 1972 Amik Montreal, 1976 Misha Moscou, 1980 Sam Los Angeles, 1984 Hodori Seul, 1988 Cobi Barcelona, 1992 Izzy Atlanta, 1996 Syd, Millie e Olly Sydney, 2000 Athena e Phevos Atenas, 2004 Fuwa (Beibe, Jingjing, Huanhuan, Yingying e Nini) Pequim, 2008...

Urso Misha: lágrimas do encerramento

Urso Misha: lágrimas do encerramento

A cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Moscou, em 3 de agosto de 1980, será sempre lembrada por uma lágrima. O mosaico humano que formou a figura do urso Misha, mascote dos Jogos, deixou cair lágrimas do olho esquerdo. Era a tristeza de quem vê a maratona...

Quem criou a bandeira dos refugiados?

Quem criou a bandeira dos refugiados?

A ideia da bandeira dos refugiados (The Refugee Nation) foi de dois publicitários curitibanos radicados em Nova York, Artur Lipori e Caroline Rebello. Eles ficaram entusiasmados quando souberam que haveria uma delegação de refugiados na Olimpíada Rio-2016. Para fazer...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This