1. “Rouba, mas faz”
Os eleitores de Paulo Maluf pegaram a frase emprestada dos correligionários do ex-governador de São Paulo Adhemar de Barros (1947-1951 e 1963-1966). Maluf também fez uso do “foi o Maluf que fez”, criado pelo marqueteiro Duda Mendonça.

2. “50 anos em 5”
Slogan de Juscelino Kubitschek, que foi presidente da República entre 1956 e 1951.

3. “Brasil: ame-o ou deixe-o”
Slogan do general Emílio Médici, que foi presidente da República entre 1969 e 1974.

4. “O caçador de marajás”
Foi com esse lema que Fernando Collor se elegeu, em 1990.

5. “Vote no Brigadeiro. É bonito. É solteiro.”
Para atrair o eleitorado feminino, o brigadeiro Eduardo Gomes, da UDN (União Democrática Nacional), usou essa frase na eleição para presidente em 1945.

6. “Varre, varre, vassourinha”
Era o jingle de Jânio Quadros, que foi presidente no ano de 1961. O adversário de Jânio na eleição, o marechal Henrique Lott, tinha como símbolo uma espada, referência a uma espada de ouro que recebeu do presidente Juscelino Kubitschek por ter sufocado os movimentos militares que tentaram impedir a posse de JK, em 1965. Era o contra-ataque: “O povo sabe, sabe, sabe, não se engana / Essa vassoura é de piaçava americana / Mas a espada de nosso marechal / Foi fabricada com aço nacional”.

7. “Pode, Waldir?”
O cantor e compositor Gilberto Gil queria se candidatar à Prefeitura de Salvador, pelo PMDB, em 1988. Mas o governador, Waldir Pires, não aprovou a ideia. Gil, então, lançou um funk que se chamava “Pode, Waldir?”. A letra dizia: “Pra prefeito, não / Pra prefeito, não / E pra vereador? / Pode Waldir, pode Waldir, pode Waldir?”. No ano seguinte, Gil elegeu-se vereador pelo PV (Partido Verde). Teve 11.111 votos.

8. “Ey, ey, Eymael / Um democrata cristão…”
É o eterno jingle do candidato José Maria Eymael, do Partido Social Democrata Cristão (PSDC). A música o acompanha desde 1985, quando tentou a vaga de prefeito em São Paulo.

9. “Meu nome é Enéas”
Enéas Carneiro criou o bordão logo na primeira vez em que se candidatou a um cargo público. Foi em 1989, quando lançou-se candidato à presidência e ficou em 12º lugar entre 21 candidatos. Como fundo musical, a propaganda tinha a Sinfonia n.º 5 de Ludwig van Beethoven.

10. “Lula Lá”
O slogan do jingle da campanha do cadidato à presidência pelo PT em 1989 foi criado pelo publicitário Carlito Maia, um ano antes. O compositor Hilton Acioli, autor de “Disparada”, sucesso na voz de Jair Rodrigues, compôs a melodia que embalava o “Lula Lá”.