Orlando Drummond nasceu em 18/10/1919, no bairro de Todos os Santos, Rio de Janeiro. Ele é descendente do empresário João Batista Viana Drummond, o Barão de Drummond, fundador do primeiro zoológico do Rio. Para custear as obras do zoo, o barão criou o jogo do bicho em 1892.

Drummond começou na Rádio Tupi como auxiliar de contrarregra. Seu forte era imitar animais. Certa vez, com uma simples caixa de fósforo colocada na boca do microfone ele fez o som de desabamento durante uma novela. Logo se tornaria radioator, por indicação de Paulo Gracindo. Trabalhou como roteirista de rádio em programas como “Na fila do banheiro”.

Seus primeiros papéis cômicos de sucesso na TV foram o japonês Taka Nanuka e o índio Patacotaco, ambos criados por Max Nunes. Participou de inúmeros programas, como “Ali Babá e os 40 Garçons”, “Pandegolândia”, “Viva o Vovô Deville”, “A-E-I-O-Urca” e “Zorra Total”. Passou pelas principais emissoras do país:TV Rio, TV Tupi, TV Record, TV Excelsior e TV Globo.

Como dublador, Orlando Drummond emprestou sua voz a personagens clássicos, como Hortelino Trocaletras (Turma do Pernalonga); Popeye; Gargamel (Smurfs); Sargento Garcia (Zorro); Max (mordomo de “Casal 20”); Alf, o ETeimoso; Pacato/Gato Guerreiro (He-Man); e Scooby-Doo. Seu trabalho mais lembrado é o do aluno Seu Peru, da “Escolinha do Professor Raimundo”.

Três netos de Orlando se tornaram dubladores: Felipe Drummond, Alexandre Drummond e Eduardo Drummond.

Em 2019, o jornalista Vítor Gagliardo lançou a biografia “Orlando Drummond: Versão Brasileira” (Gryphus Editora).

Orlando Drummond morreu em 27 de julho de 2021, aos 101 anos.

 
Leia também: As caras por trás das dublagens