Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Curiosidades sobre Julio Verne e suas obras

24 de abril de 2019
  1. Os livros de Júlio Verne são verdadeiras previsões científicas. Seus livros antecipam inventos como a televisão, o helicóptero, o fax, o dirigível, o cinema falado, o gravador, a iluminação por néon, a escada rolante, o diamante sintético, o ar condicionado, os arranha-céus, o míssil teleguiado, o tanque de guerra, o submarino, o veículo anfíbio, o transatlântico, o avião e o uso de gases como arma de guerra.
  2. Suas obras foram premiadas pela Academia Francesa de Letras. Em 1907, Michel Verne, filho do escritor, ergueu uma estátua em homenagem ao pai no túmulo onde foi enterrado.
  3. Júlio Verne foi influenciado por Jonhathan Swift, (“Viagens de Gulliver”), Daniel Defoe (“Robinson Crusoé”), e Edgar Allan Poe,
  4. Apesar de suas histórias se passarem em terras distantes, Verne nunca fez viagens longas. Ele tinha um iate, o Saint-Michel, para viagens rápidas. Chegou a conhecer a Inglaterra, a Escócia e arredores.
  5. Em 1839, aos 11 anos, Julio Verne juntou-se a uma tripulação que ia para a Índia num veleiro chamado Coralie. Mas o pai do garoto fez com que ele desembarcasse na primeira parada, ainda em águas francesas.
  6. O livro “20 mil léguas submarinas” já recebeu uma dezena de adaptações para o cinema. A primeira delas foi dirigida por George Méliès e foi lançada em 1907.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O Capitão 7, como o nome e o número sugeriam, foi criado na TV Record Canal 7, em 1954, mesmo ano em que a TV Tupi Canal 3 lançou o Falcão Negro. O Capitão 7 era interpretado pelo ator Ayres Campos. As suas aventuras tinham uma pegada ligada às histórias de ficção...

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

Zé Bonitinho, que era o perigote das mulheres, surgiu na TV brasileira no finalzinho dos anos 1950. Foi criado pelo próprio Loredo para a TV Rio e inicialmente escrito pelo Chico Anysio. Pouca gente se lembra (ou sabe) que Jorge Loredo interpretou vários outros...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This