Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Curiosidades de “A moça que veio de longe”

16 de novembro de 2021
Glória Menezes e Tarcísio Meira em “2-5499 Ocupado”, de 1963? Não. Para o especialista em televisão, Magalhães Júnior, o primeiro par romântico de novela a cair nas graças do público veio apenas no ano seguinte, na TV Excelsior Canal 9. A novela era “A moça que veio de longe” – e par romântico foi formado por Hélio Souto e Rosamaria Murtinho. Ela tinha a direção de Dionísio Azevedo e o roteiro da talentosa Ivani Ribeiro (curiosidade: na mesma época, a TV Tupi Canal 4 estava apresentando, quase no mesmo horário, a novela “A Gata”, escrita por Valéria Montenegro, que era um pseudônimo da própria Ivani).

Prev 1 of 1 Next
Prev 1 of 1 Next

A novela foi uma adaptação de um original argentino escrito por Abel Santa Cruz. Contava a história de uma moça pobre, Maria Aparecida, que vinha do interior para trabalhar como empregada doméstica na casa de uma família rica da capital. Acabava se apaixonando pelo filho dos donos da casa, o advogado Dr. Raul. Aos poucos, a paixão dela vai sendo correspondida por ele (que era noivo) e, então, os dois viviam a luta pelo amor considerado impossível. O sucesso foi imediato. Foram 42 capítulos, de maio a julho, de 20 minutos cada um. “A moça que veio de longe” entrava no ar às 19 horas.


Hélio Souto e Romaria Murtinho já eram eram conhecidos na TV, mas não famosos ainda. Rosamaria Murtinho, paraense de Belém, tinha a sua vida artística totalmente ligada ao teatro. Somente em 1958 ela começou a participar da televisão em teleteatros da TV Tupi de São Paulo, como o “TV de Comédia”. Também participou de várias peças do “Grande Teatro Tupi”. Como não era exclusiva da emissora, ela participou do “Teatro 9”, na TV Excelsior. Na TV Cultura, fez a série “Agente Secreto C-2”, cujo protagonista era Hélio Souto, no papel do Detetive Castro. Anos antes de estrelar a novela, Rosamaria Murtinho participou com muito destaque do episódio “A Repórter” da famosa série “O Vigilante Rodoviário”. O carioca Hélio da Silva Figueiredo D’Almeida Coutinho, nascido em 1929, tinha a carreira mais voltada ao cinema nas décadas de 1950 e 1960, tendo sido, ator, produtor, autor e diretor. Em 1961, ele comandou um programa de entrevistas na TV Cultura Canal 2 chamado “Hélio Souto e você”.

No capítulo final da novela, Maria Aparecida se casa com Dr. Raul. Para provar a força que teve essa novela, logo depois do último capítulo, a TV Excelsior promoveu uma noite de autógrafos no Ginásio do Pacaembu. O ginásio ficou lotado, por dentro e por fora, pois todo mundo queria ver o casal. A TV Excelsior chegou a programar um especial com o teipe dos melhores momentos da noite de autógrafos.

No Rio de Janeiro, como a novela tinha um atraso de exibição em relação a São Paulo, o capítulo final aconteceu alguns dias depois. E aconteceu ao vivo durante o programa de maior audiência da TV Excelsior do Rio,  “A cidade se diverte”. Na semana seguinte, o programa exibiu ainda a paródia “A moça que veio de bonde”.

Depois de “A moça que veio de longe”, Rosamaria Murtinho e Hélio Souto voltaram a trabalhar juntos novamente dois anos depois, em 1966, na TV Tupi. Foi na novela “A inimiga” de Geraldo Vietri. Nas reportagens das revistas, mesmo dois anos depois, os jornalistas ainda faziam alusão ao sucesso dos dois na novela de dois anos antes;.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

O que faz a Liga Brasileira de Mulheres Tabuleiristas

O que faz a Liga Brasileira de Mulheres Tabuleiristas

A antropóloga pesquisadora Bárbara Côrtes, que usa o nickname "Bacolou", é uma das fundadoras da Liga Brasileira de Mulheres Tabuleiristas, criada há um ano e meio. A Liga vem articulando projetos e parcerias para fomentar a expansão da união entre mulheres no mundo...

Curiosidades sobre a mensagem de final de ano da Rede Globo

Curiosidades sobre a mensagem de final de ano da Rede Globo

A música "Um novo tempo", símbolo da mensagem de final de ano da Rede Globo, foi composta por Marcos Valle, Paulo Sérgio Valle e Nelson Motta. Ela foi gravada pela primeira vez pelo elenco da TV Globo em dezembro de 1971. Regina Duarte e Elis Regina não participaram...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This