1.  Em abril de 1872, Jesus apareceu no sonho do padre cearense Cícero Romão Batista e recomendou sua ida a Juazeiro do Norte para cuidar de uma aldeota com apenas cinco casas de telha, 30 casas de palha e uma capelinha, a 10 quilômetros de Crato, sua terra natal. Zelando pelos pobres, o padre Cícero ganhava fama de benfeitor por toda a região. PADRE CÍCERO
  2. Numa missa, em 1º de março de 1889, um milagre começaria a transformar o homem em lenda: no momento da comunhão, a hóstia teria se transformado em sangue na boca da beata Maria de Araújo.
  3. Legiões de pessoas vinham de longe para assistir ao fenômeno, que se repetiria dezenas de vezes, sempre e apenas com a mesma beata. A cada milagre, o padre limpava o sangue com um paninho, escrevia a data e assinava. O caso foi parar no Palácio Episcopal de Fortaleza. O bispo Joaquim José Vieira criou uma comissão para desmascarar o suposto milagreiro e até o Vaticano foi convidado a se manifesta acerca do assunto. Mas jamais se provou se a transformação da hóstia em sangue era de fato uma farsa.
  4. Irritado com o crescente fanatismo pelo Padim Cícero, d. Joaquim formou uma nova comissão, cujo parecer foi desfavorável aos milagres. A Igreja ameaçou o Padre Cícero com a excomunhão, a qual não foi concretizada, pois temeu-se uma reação popular. Proibido de celebrar atos religiosos, Cícero recuperou os direitos de oficiar depois de expor pessoalmente os fenômenos em Roma.
  5. O bispo Francisco de Assis Pires, de Crato, mandou revirar as casas e queimar todos os paninhos que fossem encontrados. Isso apenas aumentou o mito. Hoje, restou apenas um único paninho, propriedade de d. Dalva Mendonça. Ela conta que, um dia, padre Cícero apareceu em sonho para sua mãe e disse que o último paninho de cambraia de linho, datado de 15 de maio de 1891, estava na casa da beata Bichinha, debaixo de estátua do Menino Jesus de Praga. No dia seguinte, ela foi lá, levantou a estátua e encontrou a relíquia.
  6. Acusado de continuar estimulando o fanatismo, Cícero foi suspenso da ordem e entrou para a política. Foi o primeiro prefeito de Juazeiro, tomando posse em 4 de outubro de 1911. Acabou sendo destituído pelo governador Franco Rabelo. Padre Cícero lutou, então, ao lado dos rebeldes contrários a Rabelo, num movimento conhecido como Guerra da Sedição. Rabelo foi deposto e Cícero reassumiu sua posição em 1927.
  7. A estátua do padre Cícero, em Juazeiro do Norte, tem 17 metros, além dos 8 metros de pedestal. É a terceira maior obra de concreto do mundo, atrás da Estátua da Liberdade (Nova York, Estados Unidos) e do Cristo Redentor (Rio de Janeiro). Foi esculpida em 1969 pelo artista nordestino Armando Lacerda. O túmulo do padre Cícero localiza-se na igreja matriz de Nossa Senhora das Dores. ESTÁTUA DE PADRE CÍCERO
  8. Os admiradores do Padre Cícero contavam que, entre seus milagres, ele costumava pendurar o chapéu num prego imaginário.
  9. Seu enterro foi acompanhado por uma multidão de 80 mil fiéis.
  10. Em terras herdadas do padre Cícero, o beato José Lourenço (1872-1946) construiu a Comunidade do Caldeirão. Durante o Estado Novo, a Comunidade, considerada um foco de comunismo, foi destruída. Cerca de mil seguidores de José Lourenço organizaram uma nova comunidade na Serra do Araripe, mas foram perseguidos e massacrados.