1. O cientista Adolpho Lutz nasceu no Rio de Janeiro em 18 de dezembro de 1855. Era filho de Gustav e Mathilde, que chegaram ao Brasil vindos de Berna, na Suíça.
  2. Quando Lutz tinha 2 anos, seus pais resolveram voltar para a Suíça porque estavam com medo das epidemias de doenças tropicais no Brasil. O pesquisador só retornaria ao país 26 anos depois, já formado em Medicina.
  3. Publicou 200 trabalhos ao longo de sua vida. Além de se dedicar a diversas especialidades médicas, pesquisou sobre doenças bacterianas e as transmitidas por insetos sugadores de sangue e outros hospedeiros.
  4. É considerado o pioneiro na área de veterinária no Brasil.
  5. Em 1889, foi trabalhar no hospital para leprosos localizado na ilha de Molokai. No ano seguinte, um dos pacientes começou a espalhar que dois outros doentes haviam se tornado psicóticos por causa do medicamento ministrado por Lutz. Ele foi punido pela enfermeira inglesa Amy Fowler, braço direito do médico. Ofendido, reclamou com o Conselho de Saúde, que nomeoou uma comissão de inquérito para investigar o caso. Lutz acabou pedindo demissão do cargo.
  6. Amy e Lutz se casaram em abril de 1891. O casal teve dois filhos: Bertha e Gualter. Bertha Lutz, aliás, foi a responsável por iniciar no Brasil a luta pelo direito das mulheres ao voto.
  7. Costumava usar em quase todas as frases a palavra “precisamente”.
  8. Em 1922, teve que acompanhar a contragosto a rainha da Bélgica em um passeio a cavalo na Tijuca. Uma das mulheres que seguiam o cortejo fez uma pergunta ao médico e ele, sem ouvir, a provocou, dizendo: “Precisamente, os homens é que deviam montar de lado, porque as mulheres não têm certos órgãos que ficam amassados contra a sela”.
  9. Ele escolhia as roupas que iria vestir no dia de acordo com seu termômetro. Em um quente dia de verão, o aparelho quebrou. Sem saber do fato, Lutz apareceu no trabalho com pesadas roupas de frio.
  10. Em suas andanças pelo interior do país, quando estava cansado, sentava debaixo de uma árvore e declamava textos do poeta grego Homero.
  11. Certa vez, estava em excursão com sua caravana e, na hora do lanche, tirou uma banana de sua bagagem e começou a comer. Percebendo que os companheiros estavam com fome, perguntou se gostavam da fruta. Eles responderam que sim. Lutz retrucou: “Então, da próxima vez, façam como eu, tragam bananas”.