Estreou ontem à noite nos Estados Unidos, pela ABC, a série de televisão Pan Am. Ambientada nos anos 1960, auge daquela que já foi a principal companhia aérea americana, a série tem como protagonista Maggie, papel interpretado por Christina Ricci. A sinopse diz que ela desiste de sua vidinha comum para conhecer o “glamour da vida de comissária de bordo”.

PANAM - SÉRIR

Para reproduzir fielmente aquela época em que viajar de avião era bem mais glamoroso (e confortável), ex-aeromoças da companhia foram contratadas para ensinar as atrizes a dobrar guardanapos, segurar colheres e servir caviar de uma maneira só usada na companhia americana.

A Pan American World Airways, fundada em 18 de  outubro de 1927,  foi uma das primeiras companhias aéreas do mundo a oferecer vôos regulares. Levava passageiros e entregava encomendas. A empresa era famosa pelo rigoroso treinamento que dava a seus funcionários: antes de tornar piloto, um novato tinha que passar por estágios inferiores, como operador de rádio ou mecânico. No Brasil, a Panair, que voou entre 1930 e 1965, foi controlada pela Pan Am.

PANAM SÉRIE ELENCO

Ícone dos Estados Unidos, a Pan Am começou a ter problemas com a Crise do Petróleo de 1973, que aumentou o preço do combustível. Em decadência, foi obrigada a declarar que tinha falido em 1991. O último voo da empresa foi de Bridgetown, em Barbados, até Miami, Estados Unidos, em dezembro daquele ano. Uma outra companhia aérea foi criada com o nome de Pan Am continua operando até hoje com um número bem menor de voos.

A série vem num momento em que a tradicional logomarca azul da companhia virou objeto de desejo das americanas. A bagagem, distribuída apenas entre passageiros da primeira classe, era admirada por celebridades como os Beatles, John F. Kennedy e Judy Garland. Uma boa notícia é que agora réplicas das bolsas estão à disposição de qualquer pessoa no site da Pan Am, inclusive a sacola Orion, exatamente o modelo daquela época.