Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

10 curiosidades sobre a morte de John Kennedy

24 de abril de 2019

1. Em junho de 1963, o vice-presidente Lyndon B. Johnson e o governador do Texas John Bowden Connally Jr. sugeriram ao então presidente John Kennedy que fizesse uma visita às principais cidades do estado do Texas. A viagem tinha como objetivo aumentar a popularidade de Kennedy, que já estava em campanha para sua reeleição no ano seguinte. A maioria dos texanos estava apoiando o candidato republicano, o senador Barry Goldwater. A viagem foi anunciada para novembro.

2. No dia 22 de novembro de 1963, John Kennedy realizou um desfile a carro aberto na cidade de Dallas. Às 12h15, uma pessoa armada foi vista no depósito da Escola do Texas.

3. Às 12h29, o carro onde estava Kennedy, Jacqueline e o governador texano John Connally Jr. saiu da rua Main, entrou na Houston e se aproximou do hotel Dealey Plaza. Até então, o desfile ocorria sem problemas, com apenas duas paradas para que o presidente acenasse para a multidão.

4. Às 12h30, do depósito da Escola do Texas, são disparados dois tiros na direção do carro de Kennedy. Um, além de alvejar o governador Connally, acerta o pescoço do presidente. O outro, que lhe tirou a vida, atinge sua cabeça. Desnorteada, a primeira-dama sobe no capô e tenta recolher os pedaços do cérebro do marido.

5. Às 13h, Kennedy é declarado morto pelos médicos. Seu corpo recebe a extrema-unção.

6. Às 13h40, a polícia é notificada de que Lee Harvey Oswald, o principal suspeito da morte de Kennedy, estava em um cinema. Dez minutos depois, policiais invadem o cinema e prendem Lee Oswald. Ele negou todas as acusações. Ainda no dia 22 de novembro, às 23h36, a justiça condena Lee Oswald pelo assassinato de Kennedy.

7. Às 14h, o corpo de Kennedy deixa Dallas em direção a Washington (EUA) no avião presidencial. Lyndon Johnson é declarado Presidente dos Estados Unidos. A cerimônia é realizada no próprio avião que levava o corpo de Kennedy.

8. Jack Ruby, dono de um cabaré, mata Lee Oswald na noite em que ele seria transferido de prisão. Há diversas versões para as reais motivações de Ruby: uns dizem que foi a mando da máfia; outros, que queria provar que os “judeus tinham coragem”. Também se fala que ele desejava evitar que Jacqueline Kennedy fosse obrigada a comparecer ao julgamento do assassino de seu marido. Oswald ainda foi levado para o Parkland Memorial Hospital, o mesmo hospital em que JFK foi declarado morto, dois dias antes. Lee Harvey Oswald foi declarado morto às 13h07, no dia 24 de novembro de 1963.

9. Lee Harvey Oswald nasceu no dia 18 de outubro de 1939, em Nova Orleans, Louisiana. Ele era um ex-fuzileiro naval e viveu cerca de três anos na ex-União Soviética antes de voltar para os Estados Unidos, em junho de 1962.

10. Paul Bentley, o detetive que prendeu Lee Harvey Oswald 80 minutos após o assassinato do Presidente JFK, morreu no dia 21 de julho de 2008, aos 87 anos. “No momento da prisão, eu não tinha a menor ideia de que aquele poderia ser o suspeito de assassinar o presidente”, declarou Bentley em 1963. Paul Lester Bentley nasceu no dia 29 de junho de 1921, em Dallas, Texas. Ele serviu o exército dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra e tornou-se policial em 1947. 

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

John Kennedy

John Kennedy

  Nenhum presidente americano superou John Kennedy em número de casos extraconjugais. John teve mesmo a quem puxar. Seu pai, Joseph, chegava a trazer amantes para casa, que passavam a partilhar a vida em família. Seu caso mais famoso foi com a atriz Marilyn...

Jacqueline Kennedy Onassis

Jacqueline Kennedy Onassis

  O nome de solteira de Jacqueline era Lee Bouvier. Ela nasceu em 28 de julho de 1929 em Southampton (EUA). Ela trabalhou na Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA). Também foi fotógrafa de um jornal em Washington (EUA), época em que conheceu o...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This