A “cobra fumando” foi o símbolo da FEB, a Força Expedicionária Brasileira, na Segunda Guerra Mundial. Mas por que uma cobra fumando? De onde veio essa ideia?  O que se conta é que essa foi a forma jocosa que alguns críticos usaram para ironizar a entrada do Brasil no conflito. “É mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil mandar soldados para a guerra”.

Uma das versões diz que a expressão teria nascido de um bullying aplicado nos pracinhas. Todos os alistados passavam um período no quartel do Parque Dom Pedro II, em São Paulo. Ali ao lado, na Praça da Sé, havia um vendedor ambulante que usava uma cobra para chamar a atenção da clientela. A cobra tinha um cigarro colocado na boca e ele fingia a todo instante que ia acender o cigarro, criando um certo suspense, enquanto falava de seus produtos: “Daqui a pouco, a cobra vai fumar”. Ao chegarem no quartel, os novatos vinham arrastando malas que pareciam justamente malas de camelôs. Esta semelhança é que trouxe a expressão “a cobra vai fumar” para dentro da caserna. Inspirados naquele mascate, os alistados mais antigos provocavam os recém-chegados: “Cadê a cobra? A cobra vai fumar?”.