Como é que começou a brincadeira do “Fusca Azul”? A regra é clara: ao avistar um Fusca azul na rua, você deve dar um tapa ou um soquinho no ombro da pessoa que está ao seu lado: Há pequenas variações de lugar para lugar. Para alguns, vale qualquer cor de Fusca e o azul dá direito a dois socos. Em 2010, no famoso intervalo da transmissão do SuperBowl, a Volkswagen americana chegou a fazer um comercial de TV apresentando o jogo. Mas, na propaganda,  qualquer carro da montadora alemã (e também de qualquer cor) entrava na parada

Como é que isso começou? Existe um vídeo na internet contando uma história bem maluca. Diz que, em 1914, um funcionário da Ford teria misturado tintas por engano na linha de montagem. Saíram de lá carros azuis contra a vontade de Henry Ford. A partir daí, o empresário passou a dar tapas nas costas do funcionário que cometeu o erro toda vez que o encontrava. Bobagem, essa história nunca existiu. Quem me escreveu foi Jefferson Artigas Guerra, que se apresentou a mim como autor dessa fake news, no blog “Catarelismo”, em 05 de outubro de 2007. Muita gente caiu na piada (até grandes portais) e a republicou como sendo verdadeira. Ela continua sendo divulgada até hoje. “Legal ter a história desmentida por você depois de quinze anos”, escreveu.

Qual é a história verdadeira? O que eu encontrei foram explicações bem diferentes. Uma delas diz que, como o carro ficou associado ao período do nazismo na Alemanha, os americanos se cutucavam quando viam um Fusca passando. Mas existe outra explicação que achei mais convincente.

Nos anos 1960, o Volkswagen Beetle (Besouro) foi apelidado nos Estados Unidos de “bug”, “inseto” em inglês, por causa de seu formato que lembrava uma joaninha. O formato do carro também lembrava uma charrete puxada por cavalos, com dois lugares, chamada Buggy.O que as pessoas fazem quando um besouro, um inseto, pousa no ombro de alguém? Dão um tapa. Então começaram a fazer o mesmo quando viam passar um “bug” – um Fusca – nas ruas. Era uma boa desculpa para uns e outros se estapearem. Os americanos batizaram a brincadeira de “punch buggy” [socar o inseto]. Dependendo da região dos Estados Unidos, pode aparecer como “slug bug”..

Os americanos criaram até livros de regras para a brincadeira. Um deles foi “Punch Buggy: The official rules”, de Ian Finlayson e Michael David Lockhart, lançado em agosto de 1998. O livro tem 64 páginas e eles contam que a brincadeira teria sido criada no antigo Egito (mas avisam que se trata de uma explicação satírica). Na capa do livro, por coincidência, o Fusca é azul.

Os vizinhos mexicanos logo copiaram a brincadeira. Lá Fusca é Vocho. A cor mais difícil de encontrar era a amarela. Então, quando aparece um Fusca amarelo, a criança grita “Vocho amarillo” e manda o tapa, que é considerado sinal de boa sorte. A brincadeira acabou vindo também para o Brasil. Só não se sabe exatamente quem escolheu a cor azul. O mais provável é que tenha sido também pela dificuldade em se encontrar cores dessa cor por aqui.