Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Juvenal de Campos Filho e os 100 anos do primeiro gol brasileiro no exterior

10 de agosto de 2013

O primeiro gol brasileiro no exterior está fazendo 100 anos hoje sem muita festa. No dia 10 de agosto de 1913, um combinado que tinha como base o Sport Club Americano, de São Paulo, venceu um selecionado argentino por 2 x 0, partida disputada no antigo campo do Racing, na cidade de Avellaneda. O Americano viajou reforçado com alguns craques de outras equipes, como Friedenreich, do Ypiranga.
Os brasileiros chegaram a Buenos Aires dois dias antes da partida no navio a vapor Amazon. Os jornais La Prensa e La Razon fizeram boa cobertura da partida, mas duvidadam da capacidade do time do Americano. As manchetes diziam coisas do tipo “quantos gols marcaremos nos brasileiros?”.  O time que jogou foi Hugo; Chico Netto e Meneses; Antonio Bertone, Juan Bertone e Thiele; Formiga, Alencar, Friedenreich, Juvenal e Décio Viccari. O técnico era Alex Hiutchinson, que também apitou a partida.

O autor do primeiro gol  foi Juvenal de Campos Filho, nascido em 1 de janeiro de 1895, na cidade de Tatuí (SP). “Naná”, como era mais conhecido, marcou o gol que abriu caminho para a vitória brasileira aos 33 minutos do primeiro tempo. Depois de receber cruzamento do ponta-esquerda Formiga, ele bateu de canhota, em um chute cruzado, sem chances de defesa para o goleiro Pearson, da equipe argentina. Quatro minutos depois, o capitão Décio Viccari ampliou o marcador com chute rasteiro. Os argentinos atribuíram a derrota aos fortes ventos.
Esse combinado disputou ainda mais quatro amistosos na excursão e perdeu os quatro jogos:
15/8/13 – Americano 1 x Combinado de Montevidéu 2
17/8/13 – Americano 0 x Combinado argentino 2
24/8/13 – Americano 0 x Combinado uruguaio 2
26/8/13 – Americano 2 x Combinado uruguaio 4
O Americano, que usava as cores verde e branco, foi fundado em 21 de maio de 1903 na cidade de Santos (SP). Em 1911, a equipe transferiu sua sede para a capital, o que facilitou o surgimento de outro time na cidade praiana, o Santos Futebol Clube. O Americano conquistou a primeira vitória internacional para o Brasil em 13 de agosto de 1911, ao derrotar uma equipe uruguaia por 3 x 0 no Estádio da Floresta (onde está hoje o clube Tietê, na Ponte das Bandeiras), depois de 14 derrotas sofridas por equipes brasileiras. O Americano foi campeão paulista invicto em 1912 e 1913, mas encerrou suas atividades em 1916.

Juvenal foi bicampeão pelo Americano e ainda conquistaria o tri pela Associação Atlética São Bento em 1914. Fez cinco partidas pelo Flamengo em 1915 e 1916 e jogou pelo Palmeiras da Bahia, onde começou a estudar Medicina. Com a morte do pai, em 1921, desistiu do futebol e voltou a Tatuí para cuidar dos negócios da família. Juvenal morreu em 11 de março de 1983, aos 88 anos.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

A Rádio ONCB e as Paraolimpíadas de Tóquio 2020

A Rádio ONCB e as Paraolimpíadas de Tóquio 2020

Os Jogos Paraolímpicos de Tóquio começam na próxima terça-feira, dia 24. Marcus Aurélio Carvalho, diretor e apresentador da Rádio ONCB, emissora web da Organização Nacional de Cegos do Brasil, explica como será a cobertura diferenciada do evento. Marcus fala também de...

O autor de 150 hinos de times de futebol

O autor de 150 hinos de times de futebol

O compositor paulista Carlos Santorelli tem mais de 2 mil músicas gravadas. Em 1997, ele lançou um CD com hinos para os principais times do Rio Grande do Norte compostos por ele. Depois, em 2011, veio outro, desta vez com times paraibanos. Mas foi a partir de 2017 que...

Pugilista perdeu a orelha e não consegue usar máscara?

Pugilista perdeu a orelha e não consegue usar máscara?

Em novembro de 1996, o pugilista Evander Holyfield, pentacampeão mundial dos pesos-pesados, desafiou Mike Tyson pelo título da Associação Mundial de Boxe. Holyfield venceu de forma surpreendente ao realizar a proeza de nocautear Tyson no 11º round. Em junho do ano...

2 Comentários

2 Comentários

  1. Christian Pereira de Camargo

    Parabéns pelo texto, Marcelo. Como tatuiano, sinto orgulho. Trabalho no rádio e aqui do lado a rua é Juvenal de Campos (pai do Naná), que foi um grande industrial. Abraço.

    Responder
  2. Christian Pereira de Camargo

    Parabéns pelo texto, Marcelo. Como tatuiano, sinto orgulho. Trabalho no rádio e aqui do lado a rua é Juvenal de Campos (pai do Naná), que foi um grande industrial. Abraço.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This