Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Com apetite de leão: rodízio de carnes de caça na África do Sul

14 de junho de 2010

O restaurante Carnivore, a 30 minutos de Johanesburgo, já virou uma atração turística. Visitantes de todas as nacionalidades vão até ali atraídos pelas carnes de caça oferecidas no cardápio. As carnes mudam a cada semana. O único dos “Big Five” servido ali é o búfalo, reservado para ocasiões ou clientes especiais. Elefante, leão, rinoceronte e leopardo não entram no espeto.

A casa funciona no sistema de rodízio. Pelo equivalente a 50 reais, o Carnivore serve pão com manteiga, sopa, saladas e acompanhamentos. As carnes são preparadas numa grelha no próprio salão. A primeira rodada é servida numa sequencia: começa com fígado de galinha, asinhas, carne de porco, de vaca. Aí, finalmente, vem o mais aguardado. Primeiro linguiças e almôndegas de kudu (melhor do que explicar é você conferir a foto aqui).

Quando o cliente pede por uma carne de caça que não está no cardápio do dia, o gerente, Toni Loureiro, coloca a culpa no crocodilo. “Não temos, pois os crocodilos o comeram primeiro”, brinca. Nesse dia, porém, o crocodilo é que foi servido.

Depois de experimentar a impala, o garçom ofereceu a carne de girafa. Não, não é o pescoço, apesar de parecer. Eles servem o traseiro e a coxa do bicho. A carne de girafa é bastante dura. Os animais são criados em uma fazenda dos donos, que tem 35 mil animais. Eles são caçados 8 meses por ano, de acordo com as necessidades da casa. Para a Copa do Mundo, a Carnivore estocou 9 toneladas de carnes.

Por fim, a carne que eu achei mais saborosa de todas: a zebra. Com um molho de cereja, então, ela fica mais gostosa. Terminada a rodada, você pode repetir todas que quiser. Deu zebra outra vez!

Web Stories

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

A volta dos Botões Brianezi

A volta dos Botões Brianezi

Desde o final de 2020,  o empresário Alexandre Badolato passou a ser chamado de "Alexandre da Brianezi". Depois de 20 anos fora do mercado, a Botões Brianezi voltou a existir por causa de um acordo feito entre ele e Lúcio Brianezi, herdeiro da marca. Paulo Brianezi,...

4 Comentários

4 Comentários

  1. Antonio Mier

    Marcelo, durante suas caçadas os leões atacam, impalas, gnus e búfalos, mas você descobriu NA PRÁTICA porque eles preferem as zebras: são mais saborosas…

    Responder
  2. Carolina

    Haja coragem, hein? Há 7 anos eu recuso até picanha ao ponto, quem dirá uma zebra!
    Antonio Mier, você já comeu carne de zebra também!
    Se esse assunto de zebra fizer o Brasil perder o jogo amanhã eu vou parar de ler esse blog! 😉

    Responder
  3. Gustavo Schroeder

    Marcelo, tem como você fazer um post com uma reportagem da Revista dos Curiosos da mulher que estampa as embalagens dos Palitos Gina?
    Eu vi a do Paulinho Pompéia, que era o menino dos “Cigarrinhos de Chocolate” e nela tem uma nota sobre a Gina! Fiquei muito curioso!
    Abraço!

    Responder
  4. Antonio Mier

    Carolina, eu já comi coelho, javali, capivara, tatu, avestruz, quati, jacaré e até cobra, mas se tem uma carne que não desce é a de rã…nem sem saber…(rs)

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
Os 100 anos dos ursinhos da Haribo Qual é a origem do Creme Nivea? Você conhece o axolote, o “monstro aquático”? As pioneiras da ficção Científica