A Copa acabou e já estou de volta a São Paulo. Então, para despedida, vou escrever pela última vez sobre as vuvuzelas. É que no aeroporto recebi um jornal que trazia um cartum muito divertido do sul-africano Zapiro, já citado aqui no blog. O que fazer com tantas vuvuzelas depois do Mundial? Ele dá várias sugestões.

A primeira é usar como uma espécie de aparelho auditivo para reparar os danos causados por  um mês de vuvuzelas nos ouvidos.


Outra sugestão é dar o troco na Companhia de Aeroportos Sul-Africana (Acsa, em inglês), por causa da confusão na semifinal em Durban. Torcedores perderam a partida em razão do caos no Aeroporto Internacional King Shaka.

Pode ser usada também como um adereço no cantinho do castigo pelos jogadores franceses pelo mau desempenho…

… ou para comover as pessoas em relação à situação de Raymond Domenech, técnico da França, derrotada pela África do Sul por 2 x 1 na primeira fase do Mundial.

Durante a Copa, a socialite Paris Hilton foi pega fumando maconha no estádio – e acabou detida. Zapiro não deixou essa história passar em brancas nuvens.

O ministro dos Esportes da África do Sul, Makhenkesi Stofile, pode usar uma vuvuzela como tocha olímpica para fazer campanha pela candidatura de Johanesburgo  a sede das Olimpíadas de 2020.

O sul-africano Jackie Selebi é um ex-presidente da Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal), e está preso por corrupção. Para ele, uma vuvuzela poderia trazer um pouco de alegria à cela.

Para o ogro Shrek, serviria para potencializar seu poder auditivo. A aparência dele ficaria até mais simpática com orelhas maiores.

E já que tanto se fala em cópia, Lady Gaga poderia criar a versão evoluída dos sutiãs de cone de Madonna.

Por último, Zapiro sugere uma homenagem ao personagem mais vitorioso da Copa. Paul, o povo vidente, não errou um palpite!

Zapiro's Cartoon for 7/12/2010

 

Agora, chega de vuvuzelas. A partir de amanhã, o blog volta à vida normal.