Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Termômetro

24 de abril de 2019

 

Antes dos chamados termômetros modernos, houve muitas outras tentativas de medição da temperatura. No ano 3 a.C., Philon de Bizâncio teria sido o inventor do primeiro aparelho sensível à variação térmica. Chamado de termoscópio, ele consistia de um vaso de chumbo vazio e um vaso de água, unidos por um tubo. Quando o vaso de chumbo era aquecido, o ar existente nele e no tubo expandia-se, produzindo bolhas na água do outro vaso. Ao ser resfriado, era a água que subia pelo tubo, indo molhar o recipiente de chumbo. Em 1592, o italiano Galileu Galilei retomou o princípio do termoscópio, mas com uma forma um pouco diferente. Seu aparelho era um tubo cheio de ar e mergulhado em uma tigela de água, de tal forma que o nível de água descia, à medida que aumentava a temperatura. Mas esse invento tinha um defeito: como o tubo encontrava-se dentro de uma cuba não selada, estava sujeito às mudanças de pressão, um conceito ainda novo para os sábios da época. Foi só em 1643, quando o físico italiano Evangelista Torricelli inventou o barômetro de mercúrio. Ele demonstrou o princípio da pressão atmosférica e os instrumentos começaram a ser hermeticamente fechados, para que a medição fosse a mesma tanto ao nível do mar quando no alto de uma montanha.
Esses primeiros aparelhos traziam algumas inovações como substituir o ar por álcool ou mercúrio. Mas restava, ainda, estabelecer uma graduação numérica padrão, pois eles se baseavam nos mais bizarros pontos fixos: a temperatura da neve no frio, a temperatura de uma vaca, a da fusão da manteiga… Até que, no século 18, estabeleceram-se as escalas termométricas conhecidas até os dias de hoje. Uma das primeiras foi a de Daniel Fahrenheit (1686-1736), que era um fabricante de instrumentos meteorológicos. Ele adotou como ponto mínimo, ou zero, a temperatura de uma mistura de gelo, água, sal e amônia e, como ponto máximo, a de ebulição da água, à qual deu o valor arbitrário de 212 graus. O físico sueco Anders Celsius (1701-1744) preferiu as temperaturas de congelamento e fusão da água. Curiosamente, definiu como ponto de fusão zero e 100 para congelamento, o que foi depois invertido. Já o físico inglês William Thomson Kelvin (1824-1907) introduziu o conceito de “zero absoluto”- temperatura em que as moléculas de um gás permanecem imóveis – e calculou esse valor em 273 graus abaixo do zero de Celsius.

 

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Por que o céu é azul?

Por que o céu é azul?

A razão pela qual o céu é azul está relacionado em como a luz do sol é espalhada pelas moléculas que nós temos na nossa atmosfera. Na verdade, a luz do sol tem vários comprimentos de onda, tem várias cores, então a emissão do sol é emissão em banda larga com várias...

Como nasceu o jogo do bicho?

Como nasceu o jogo do bicho?

"A ideia foi do mexicano Manuel Zevada em 1893", afirma Ângela Sevastano, folclorista do Museu do Folclore de São José dos Campos (SP). Ele era amigo do barão João Batista Viana Drummond. Progressista e apoiador da causa...

10 hóspedes terríveis

10 hóspedes terríveis

1. Amy Winehouse A cantora inglesa deixou o quarto do Riverbank Plaza Hotel, de Londres, cheio de garrafas e cigarros espalhados. Nos estofados, manchas de licor. No banheiro, sujeira de tinta de cabelo preta.2. Salvador Dali O pintor espanhol deu trabalho aos...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This