A pedagoga Teresa Lopes da Silva, a estudante Jaqueline Bárbara e o dramaturgo Luiz Duarte não farão aniversário em 2015. Ou, pelo menos, não poderão comemorar na data certa. Os três nasceram em 29 de fevereiro. O dia é especial, afinal só aparece nos calendários dos anos bissextos – os anos esticados em um dia. Apesar de não conseguirem encontrar a data de nascimento em 2015, os nascidos em 29 de fevereiro não ficarão sem comemoração: podem festejar o aniversário em 28 de fevereiro ou 1º de março. “É gostoso ter nascido nesta data, pouquíssimos têm esse privilégio”, diz Teresa, criadora da comunidade “Nascidos em 29 de Fevereiro” no Facebook. “Eu me sinto especial”.

Um ano dura em média 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46 segundos. Para manter um padrão na duração dos anos, compensou-se ao adicionar um dia no calendário a cada quatro anos: o 29 de fevereiro. “Eu sou a pessoa mais velha de Natal que nasceu nessa data”, garante Teresa, que veio ao mundo em 1960. “Quando eu nasci, era proibido registrar uma criança em 29 de fevereiro. Não sei o que meus pais fizeram, mas o escrivão deixou passar batido”. Teresa enfrentou muitos problemas por causa disso. Quando se preparava para o vestibular, por exemplo, o computador rejeitou sua inscrição. O mesmo aconteceu quando entrou com a papelada para fazer o divórcio.

Desde 2009, com a criação da “Declaração de Nascido Vivo”, informa Ricardo Silva, oficial do 20º Cartório de Registro Civil de São Paulo, a data é registrada com normalidade: “Usamos como base a declaração de nascimento expedida pelo hospital”. Antes disso, os oficiais sugeriam que os nascimentos fossem registrados no dia 28 ou no dia 1º para “facilitar a comemoração”.

Em 28 de fevereiro ou 1º de março, o importante é ter festa. No caso de Teresa, a celebração ocorre nos dois dias. Quando cai em 29 de fevereiro, a festa é maior ainda. “Estou louca para fazer 15 anos em 2020”, celebra Teresa, que viverá o 14º ano bissexto em 2016. “Farei um grande baile de debutante”. A mineira Jaqueline Bárbara, nascida em 1996, quase foi registrada em um dia “normal”. “Minha mãe bateu o pé, porque a enfermeira insistia que eu havia nascido em um dia inexistente”, revela. Hoje, ela celebra o aniversário no dia 28 de fevereiro. “Meus amigos dizem que não me darão presentes porque não é o dia em que eu nasci de verdade”, consola-se.

No Wikipedia, o único brasileiro notável que nasceu em 29 de fevereiro é o dramaturgo Luiz Duarte, vencedor do Prêmio Jabuti de Literatura em 1988, com o livro Irmão Grimm. “É realmente raro nascer neste dia, formamos uma confraria”, diz Duarte. A data diferenciada também traz momentos ruins. Teresa ficou chateada que, em 2013, ninguém mandou parabéns para ela pelo Facebook. “Não conseguia colocar meu aniversário em 28 de fevereiro, então mandei um email para a página, expliquei o motivo e liberaram a troca de datas”, lembra.