Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Histórias dos quatro gigantes do humor na TV brasileira

15 de abril de 2021

A história do humor e da comédia na TV brasileira foi (e continua sendo) contada por muita gente talentosa. Magalhães Júnior escolheu quatro monstros sagrados do humorismo para homenagear esse gênero tão importante: José Vasconcelos, Jô Soares, Ronald Golias e Chico Anysio.

Prev 1 of 1 Next
Prev 1 of 1 Next

José Vasconcelos foi o primeiro humorista a fazer um show de stand-up no Brasil (“Eu Sou o Espetáculo”, que lotava os 1.300 lugares do Teatro Paramount até duas sessões na mesma noite). Ele era um mestre em jogo de palavras.

Autor, ator e diretor, Jô Soares foi um mestre em criar bordões, que foram incorporados no vocabulário dos brasileiros, escritos em parceria com o roteirista Max Nunes: “Muy amigo!”, “Tem pai que é cego” e “Me Tira o Tubo”.

Ronald Golias interpretou textos escritos por Magalhães Júnior por 15 anos. Quando começou na TV, ele já fazia sucesso no rádio, formando uma dupla afinada com Carlos Alberto de Nóbrega. Golias não escrevia seus textos nem criava personagens. Mas sabia dar vida a eles como poucos. Fez Bronco, Pacífico (Ô Cride), O Profeta, Isolda, Bartolomeu Guimarães.

Chico Anysio tinha uma capacidade incrível de criar personagens: ultrapassou a marca de 200. Magalhães Júnior escolheu três para representar esse universo tão rico: Pantaleão, Alberto Roberto e o Professor Raimundo (este, aliás, um dos poucos que não foi criado por ele, mas por Haroldo Barbosa, para a Rádio Mayrink Veiga, em 1952).

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O Capitão 7, como o nome e o número sugeriam, foi criado na TV Record Canal 7, em 1954, mesmo ano em que a TV Tupi Canal 3 lançou o Falcão Negro. O Capitão 7 era interpretado pelo ator Ayres Campos. As suas aventuras tinham uma pegada ligada às histórias de ficção...

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

Zé Bonitinho, que era o perigote das mulheres, surgiu na TV brasileira no finalzinho dos anos 1950. Foi criado pelo próprio Loredo para a TV Rio e inicialmente escrito pelo Chico Anysio. Pouca gente se lembra (ou sabe) que Jorge Loredo interpretou vários outros...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This