Estreou no Brasil em 16 de maio de 1965 a série “Viagem ao Fundo do Mar”. Ela inovou o gênero aventura na TV. Foi a primeira das quatro séries criadas e produzidas por Irwin Allen. As três outras foram “Perdidos no Espaço“, “O Túnel do Tempo” e “Terra de Gigantes“. conta o especialista Silvio Alexandre.

“Viagem ao Fundo do Mar” começou como um longa-metragem em 1961. As aventuras de um submarino atômico que pesquisava a vida marinha e seus benefícios para a humanidade foi um sucesso. A tripulação contava com atores de primeira, como Joan Fontaine e Barbara Eden, que mais tarde iria se consagrar em “Jeannie é um Gênio”.

A série tinha como principal estrela o submarino Seaview (que muitos brasileiros pensavam se escrever “civil”). No início, a produção não conseguiu o apoio da Marinha americana, que temia revelar segredos em época de Guerra Fria. A equipe passou a visitar o Museu da Ciência e Indústria de Chicago, fazendo anotações e desenhos do interior de submarinos alemães, capturados no final da Segunda Guerra. Tudo às escondidas.

SÉRIE VIAGEM AO FUNDO DO MAR

A atração atraiu o interesse de vários militares, entre eles o presidente brasileiro general Costa e Silva. Em 1967, depois de se encontrar com o presidente americano Lyndon Johnson, na Casa Branca, Costa e Silva viajou para Califórnia e visitou os sets de filmagens de “Viagem ao Fundo do Mar” e “Túnel do Tempo”.

A série teve 110 episódios em quatro temporadas, produzidas entre 1964 e 1968. A primeira temporada foi produzida em preto e branco, com histórias que envolviam espionagem e complôs da Guerra Fria. Pressionado para aumentar os índices de audiência, Allen alterou radicalmente o rumo da série a partir da segunda temporada. Os episódios, agora em cores, passaram a ser de ficção científica, apresentando uma enorme variedade de monstros, fantasmas, assombrações e alienígenas hostis. Cartaz sa série Viagem ao fundo do mar

A principal mudança foi a inclusão do subvoador, um pequeno veículo com capacidade de voar e navegar no mar, o que permitiu ampliar as possibilidades de novas aventuras. As duas temporadas finais contaram com viagens no tempo, além de mais vilões exagerados, como múmias, lobisomens, sereias, fantoches falantes e um duende do mal, todos perambulando pelo submarino.

Apesar de seus episódios recheados de situações absurdas e roteiros inverossímeis, com muitos efeitos especiais toscos, “Viagem ao Fundo do Mar” ainda desperta um sentimento de nostalgia para seus fãs.