1. All Star –  Nando Reis
A dona do All Star azul que Nando Reis não vê a hora de encontrar é a cantora Cássia Eller. Muito amigo da roqueira, Nando sempre a visitava em seu apartamento, que ficava no 12º andar de um prédio no bairro das Laranjeiras, no Rio de Janeiro. NANDO REIS

 

2. Anna Julia – Los Hermanos
A canção foi escrita por Marcelo Camelo com base na história do produtor da banda, Alex Werner. Quando fazia faculdade, ele paquerava uma colega chamada Anna Julia Werneck, mas não se aproximava dela porque era muito tímido. Apenas mandava bilhetes pelos amigos. Depois que a música foi composta, Alex tentou uma nova aproximação. Os dois chegaram a ter um caso. O romance, porém, não deu certo.

3. Lygia – Tom Jobim
Lygia Marina de Moraes, ex-mulher do escritor Fernando Sabino, conheceu Tom Jobim no antigo bar Veloso, em Ipanema, no Rio de Janeiro (RJ). Aconteceu um pequeno flerte no dia em que foram apresentados, mas não passou disso. Na época, Tom era casado. Mesmo assim, a “quase relação” acabou virando canção. O maestro negou durante anos a identidade de sua musa em respeito ao amigo Sabino. A revelação ocorreu em 1994, ano em que o casal se separou. TOM JOBIM

 

4. Carla – LS Jack
O cantor da banda, Marcus Menna, fez a canção pensando na esposa, a arquiteta Carla. Ele não tinha a intenção de colocar o nome dela na canção, mas o produtor do grupo insistiu e ele acabou cedendo.

5. Carol Bela – Jorge Ben e Toquinho
A inspiradora foi Maria Carolina Whitaker. Na década de 60, a moça tinha o Bar Branco, na Bela Vista, São Paulo. Tanto o bar como sua casa, apelidada de Solar da Paz, costumavam ser frequentados por Jorge Ben e o então namorado de Carol, Toquinho. De brincadeira, os músicos compuseram a canção para ela sentados no sofá.

6. Luíza e Ana Luíza – Tom Jobim
Em um dia chuvoso, Tom Jobim, Chico Buarque e Carlinhos de Oliveira estavam em um bar do Rio de Janeiro, e uma moça entrou no lugar para se proteger. Era Ana Luíza, inspiradora para as músicas “Ana Luíza” e “Luíza”. Em 1986, Tom Jobim se casou com Ana Beatriz Lontra, e um ano mais tarde teve uma filha chamada Maria Luíza. Pois isso, chegou a declarar que havia feito “uma canção premonitória”.

7. Drão – Gilberto Gil
Sandra Gadelha ganhou o apelido Drão da cantora Maria Bethânia. Mas o nome se popularizou na música que Gilberto Gil fez para ela. Os dois foram casados por 17 anos. Gil escreveu a letra poucos dias depois da separação.

Gilberto Gil

8. Garota de Ipanema – Tom Jobim e Vinicius de Moraes
A dupla escreveu a canção para Helô Pinheiro quando ela tinha 15 anos e frequentava a praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Quem primeiro a notou foi Tom, que costumava observar escondido “a garça que é uma graça”, como dizia. O maestro contou a Vinicius sobre a namorada platônica e fez o amigo esperar três dias sentado em um bar para ver a menina passar. Impressionados com sua beleza, os dois decidiram compor a melodia, que se tornou uma das canções brasileiras mais executadas no mundo.

9. Morena dos Olhos d’Água – Chico Buarque 
A socialite Eleonora Caldeira – ex-mulher do empresário Wilson Mendes Caldeira Júnior – serviu de inspiração para a música do cantor Chico Buarque, lançada no álbum “Chico Buarque de Hollanda” (1967).

Chico Buarque

10. 
Madalena – Ronaldo Monteiro de Souza e Ivan Lins
Ronaldo Monteiro estava chateado com o fim do namoro de 3 anos com Vera Regina. Foi até um bar defronte a praia de Copacabana, no Rio de Janeiro (RJ), para afogar as mágoas. Olhando o mar imenso, teve a ideia do verso: “o mar era uma gota, comparado ao pranto meu”. Mas não teve coragem de colocar o nome da ex na canção. Segundo ele, Madalena foi o primeiro nome que lhe ocorreu.

Leia também:
“Músicas e Musas”: mulheres que inspiraram sucessos da MPB
Curiosidades sobre 10 cantoras da MPB
A origem do Dia da Música Popular Brasileira