O sorvete napolitano – a combinação de chocolate, creme e morango – tem esse nome porque foi criado em Nápoles? Essa é uma daquelas histórias cheias de versões. A primeira receita moderna de sorvete teria sido registrada pelo chef napolitano Antonio Latini, no final do século dezessete. Por isso, a cidade italiana ganhou fama como o “berço do sorvete”.

Sobre o sorvete napolitano, uma das versões dá o crédito a Giuseppe Tortoni, napolitano que era dono do famoso Café Tortoni, em Paris, que fazia bolos de sorvete com três camadas coloridas, ali no início do século dezenove. O sucesso foi imediato e, logo, qualquer sorvete com a mistura de três sabores era chamado de “ao estilo napolitano”.

Há uma outra história mais difundida. No século XIX, imigrantes de Nápoles e de todo o sul da Itália chegaram aos Estados Unidos. Ao mesmo tempo em que levaram a pizza, esses napolitanos quiseram também apresentar sua receita de sorvete. Criaram um sorvete com as cores da bandeira da Itália – pistache (verde), baunilha (branca) e cereja (vermelha). Com o tempo, a fórmula foi sendo adaptada. O pistache foi trocado pelo popular chocolate e a cereja por morangos, que são produzidos em maior quantidade. Dessa forma, o sorvete napolitano acabou juntando os três sabores mais consumidos nos Estados Unidos.