Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Lições do Conselho Nacional do Hot-Dog

3 de janeiro de 2012

O sanduíche de salsicha que hoje conhecemos como cachorro-quente, ou hot-dog, chegou ao Brasil na década de 1920, com a inauguração da Cinelândia, no Rio de Janeiro. Porém, existe dúvida quanto ao surgimento do nome do prato.

A lenda diz que um homem vendia os sanduíches em um jogo de futebol enquanto gritava “comprem suas salsichas dachshund enquanto ainda estão quentes” – uma piada com o cachorro alemão dachshund, que tem o corpo comprido como uma salsicha. Tad Dorgan, cartunista do jornal New York Journal, teria visto a cena e feito uma charge. Já que não sabia escrever “dachshund”, escreveu “dog” no lugar, inventando o termo “hot dog”.

Só que não é bem assim. Por incrível que pareça, nos Estados Unidos existe um Conselho Nacional do Hot Dog e da Salsicha. E esse conselho diz que não há registro histórico do cartum feito por Dorgan. De acordo com o site da organização, piadas sobre cachorros e salsichas são feitas na Alemanha desde o século 19. O termo “hot-dog” aparece desde 1890 em revistas como a da Universidade de Yale, com referência a barraquinha que vendiam o sanduíche.

Este estudo histórico sobre o nome do cachorro-quente é apenas um dos artigos publicados no site do Conselho, que foi criado em 2008 como parte do American Meat Institute – associação de comerciantes de carne dos Estados Unidos. O site foi criado para informar consumidores e imprensa sobre qualidade e preparação de hot-dogs.

Entre os textos publicados pelo Conselho, está uma lista de como dizer cachorro-quente em dez línguas. Na maioria dos países, o nome é apenas uma tradução de “hot-dog”, como aqui. Já na Finlândia, eles são chamados apenas de “makkarat” (salsicha).

Pelo Brasil, salsicha e pão são combinados de várias maneiras diferentes. Em São Paulo, por exemplo, o cachorro-quente pode levar purê de batata, enquanto no Rio de Janeiro as barraquinhas acrescentam ovo de codorna ou até uva-passa. Talvez essas receitas não estejam de acordo com o site. Em um guia de etiqueta do hot-dog, está escrito que os acompanhamentos aceitáveis são apenas mostarda, cebola, relish (tempero de vegetais em conserva picados), queijo e pimenta. Ketchup, só se o consumidor tiver menos de 18 anos.

Leia também:
Qual é a origem do nome “cachorro-quente”?
Do que é feita a salsicha?

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

A verdadeira história da bala 7 Belo

A verdadeira história da bala 7 Belo

Escrevi para a assessoria de imprensa da Arcor, dona da marca 7 Belo desde 2001, pedindo ajuda para contar a história da bala cinquentenária. O departamento de marketing não quis passar informações. No baralho, 7 Belo é o apelido da carta "7 de Ouros", que ilustra a...

A origem dos bolinhos madeleines

A origem dos bolinhos madeleines

As madeleines têm uma função muito importante na monumental obra de Marcel Proust. "Em busca do tempo perdido", o autor francês utiliza o momento em que a tia mergulha um bolinho na xícara de chá para evocar saborosas lembranças. [yotuwp type="videos" id="7h9WokS7PoQ"...

A origem do nome e da embalagem das batatas Pringles

A origem do nome e da embalagem das batatas Pringles

A batata frita Pringles foi lançada no mercado americano em 1968. Até 1986, o nome tinha um apóstrofo (Pringle's). Depois virou uma palavra só. A escolha do nome foi bastante curiosa. Fizeram uma pesquisa na lista telefônica de Cincinatti. Encontraram no subúrbio da...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This