No final de 2015, a mais importante casa de leilão da Inglaterra, a Sotheby’s, bateu o martelo para 600 artigos de “Star Wars” que pertenciam a um colecionador japonês. Os valores foram de 100 a 35 mil dólares. No ano passado, um casal de ingleses foi chamado para retirar sacos de lixo cheios de brinquedos que pertenciam a um vizinho, que havia falecido. Descobriram ali um tesouro de naves e figuras da saga espacial avaliada em meio milhão de dólares.
Histórias de colecionadores de memorabilia de “Star Wars” se multiplicam – e muitas delas são acompanhadas de grandes dígitos. O mercado vive aquecido pelo lançamento de novos filmes e de spinoffs. Calcula-se que já tenham sido colocados no mercado 25 mil diferentes tipos de brinquedos. Há também pequenos colecionadores, que guardam peças mais ligadas à sua própria memória afetiva. Antônio Mier, colaborador do “Olá, Curiosos!”, é um deles. Ele guarda inúmeros itens, a começar pela Millenium Falcon que comprou com os primeiros salários.