Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Eles não sabiam que tinha alguém escutando

22 de abril de 2013

No início do mês, o presidente do Uruguai, José “Pepe” Mujica, cometeu uma gafe que vai demorar para ser esquecida. Sem saber que já havia começado a transmissão ao vivo de uma reunião que fazia com o prefeito da cidade uruguaia de Florida, o presidente soltou a seguinte frase: “Esta velha é pior do que o caolho”. No caso do “velha”, ele se referia a Cristina Kirchner, atual presidente da Argentina. E “caolho” foi uma referência ao ex-marido dela, o falecido Néstor Kirchner, ex-presidente da Argentina, que era estrábico. A conversa estava sendo transmitida no site oficial da Presidência do Uruguai. A repercussão entre os internautas foi imediata, fazendo com que o assunto chegasse aos trending topics do Twitter (lista dos assuntos mais comentados na rede social).

Acontece, Mujica… O Blog do Curioso reuniu alguns episódios que comprovam que essas gafes são mais comuns do que a gente imagina:
Jorge Batlle

Por incrível que pareça, outro presidente uruguaio já tinha cometido gafe semelhante. Em 2002, Jorge Batlle, sem perceber que sua fala estava sendo transmitida pela agência Bloomberg, disse: “São um bando de ladrões, do primeiro ao último”. Ele se referia justamente aos argentinos. O caso esfriou as relações entre os dois países, que só se normalizou quando Batlle foi à Argentina, pessoalmente, se desculpar.

Milton Leite

O narrador de futebol da SporTV cometeu, em 2007, uma gafe memorável. Antes de um jogo entre São Paulo e Santos, sem saber que o áudio de seu microfone estava ligado em rede nacional, Milton Leite disse: “O Rogério Ceni é chato pra c…”. Como se não bastasse, o vídeo da gafe ainda foi parar na internet, gerando uma repercussão gigantesca. A equipe do programa humorístico “Pânico na TV!” não deixou barato, e aproveitou a polêmica para fazer uma brincadeira com o goleiro do São Paulo. Eles foram encontrá-lo no embarque do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, para entregar-lhe um troféu: o atleta mais chato do futebol brasileiro.
William Bonner

Em 2004, um vídeo que vazou na internet mostrava o apresentador do “Jornal Nacional”, da Rede Globo, imitando o falecido estilista Clodovil. Na ocasião, em 1993, Bonner entrevistava Cid Moreira, durante um teste de câmera. Ele, obviamente, não sabia que a brincadeira estava sendo filmada.
Ronald Reagan

O ex-presidente dos Estados Unidos era famoso por suas piadinhas. Em 1984, nos últimos anos da Guerra Fria, Reagan soltou uma gafe momentos antes de começar um discurso ao vivo na rádio nacional. O microfone entrou no ar sem seu conhecimento, enquanto ele proferia a seguinte declaração: “Companheiros, tenho o prazer de dizer a vocês que assinei uma lei que acabará com a Rússia. Começaremos a bombardear em cinco minutos”.
Rubens Ricúpero

O ex-ministro da Fazenda foi a peça central do chamado “escândalo da parabólica”, que estourou no Brasil em 1994. Sem saber que estava sendo gravado, ele declarou a um jornalista da Rede Globo: “Eu não tenho escrúpulos. O que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”. A gafe custou seu cargo de ministro.
Bóris Casoy

Em 2010, o jornalista Bóris Casoy protagonizou uma das maiores gafes da TV brasileira. No encerramento do “Jornal da Band”,  logo depois de uma reportagem em que garis desejavam votos de Feliz Ano Novo aos telespectadores, ele soltou a seguinte declaração: “Que merda: dois lixeiros desejando felicidades do alto de suas vassouras. O mais baixo na escala do trabalho”. Como o programa já havia se encerrado,  ele não sabia que o áudio ainda estava sendo transmitido. Dois anos depois, ele foi condenado a pagar 21 mil reais a um dos garis que apareciam no vídeo, como indenização por danos morais.
Galvão Bueno
Devido a um erro técnico, durante a Copa do Mundo de 1994, a Rede Globo acabou colocando em rede nacional uma conversa de Galvão Bueno com um dos diretores esportivos. Na ocasião, ele reclamava de Pelé, comentarista dos jogos, que era prolixo demais para o gosto dele.

Essa não foi a única vez em que Galvão Bueno foi traído por uma declaração em off. A transmissão ao vivo da corrida de Fórmula 1 do dia 27 de maio de 2012 acabou colocando em rede nacional uma bronca do narrador com sua equipe. Ele não percebeu que estava no ar, quando ainda reclamava do trabalho dos funcionários da Rede Globo: “Quanto tempo falta? Não pode contar direto para mim, porque dá um ‘delay’, tem que contar para o geral, e depois para mim”, disse, em tom exaltado, para todo mundo ouvir. Quando percebeu que estava no ar, Galvão tentou corrigir a grosseria, dizendo uma frase quase ininteligível: “Amigos da Rede Globo, estamos no ar, nas novidades às vezes a gente tem uma certa coisa assim, mas repetindo vamos sempre tentar colocar vocês na pista, tá aqui o computador”.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Criador do Cubo Mágico lança livro de memórias

Criador do Cubo Mágico lança livro de memórias

Acaba de ser lançado nos Estados Unidos  “Cubed - The Puzzle of Us All”, livro de memórias do professor de arquitetura húngaro Erno Rubik, que criou o famoso Cubo Mágico - e, por isso, também chamado Cubo de Rubik. Quando inventou o brinquedo, em 1974, Rubik não tinha...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This