Você sabe de onde veio a expressão “viajar na maionese”? Depois que o crítico de cinema Pablo Villaça fez uma brincadeira no Facebook no último dia 15 de maio, passou a circular na internet o boato de que a expressão teria surgido quando parte da população carioca ingeriu maionese proveniente de um lote contaminado com alucinógenos. Quem inventou isso viajou na maionese…

Na verdade, a expressão surgiu nos presídios cariocas na década de 1970. A população carcerária, que tinha preconceito contra homossexuais, costumava modificar alguns verbos e expressões que pudessem ter duplo sentido. O verbo “servir”, por exemplo, era considerado gay. O ofício de “servir refeições” teve seu nome modificado para “pagar refeições”. A mesma coisa aconteceu com a expressão “escorregar no quiabo”, que na época era usada quando alguém falava uma besteira ou cometia uma gafe. Como a expressão também podia servir para tirar sarro de um homem que cometesse algum deslize afeminado, os presidiários trataram de separar as coisas, inventando uma nova gíria. Foi então que surgiu a expressão “viajar na maionese”, que, sem duplo sentido, passou a ser usada para referir a quem cometesse uma gafe.