Terrível monstro do folclore pernambucano. Tinha orelhas de morcego, unhas de gavião e dentes de vampiro. Andava esfarrapado e sujo. Matava meninos e meninas mentirosos para chupar seu sangue e comer seu fígado. O Papa-Figo acreditava que estes eram os únicos remédios capazes de curar a lepra, uma doença muito comum no início do século XX, que lhe destruía aos poucos.