Alternar o índice
Cometa Halley

O Cometa Halley foi batizado em homenagem ao astrônomo inglês Edmond Halley, que calculou a passagem do objeto espacial pela Terra a cada 76 anos. Como em 1910 ele pôde ser visto, o mundo inteiro se preparou para esse momento histórico novamente em 1986. E lá se vão 25 anos da “Halleymania”.
No Brasil, o publicitário Marcelo Diniz registrou a marca “Halley” em 1980. Ele fez o mesmo na França, na Alemanha e nos Estados Unidos em 1982. Em parceria com o ilustrador Lielzo Azambuja, Diniz criou a Família Halley, sobrevivente da destruição do planeta Hydron. Na história, o cometa era formado pela calota polar do mundo natal dos personagens.
FAMÍLIA HALLEY
A Editora Abril foi apenas uma das 63 marcas que fizeram negócio com Diniz. Lançou a revista bimestral em quadrinhos “A Era dos Halley”. Cada edição tinha dois capítulos, textos sobre astronomia e até mesmo um “Jornal do Cometa”, seção com novidades sobre a passagem do Halley pela Terra.
Inspirada pelos quadrinhos, a Rede Globo lançou em 11 de outubro de 1985 o especial “Era dos Halley”, com participação de Tim Maia, Rosana, Guilherme Lamounier e as bandas Titãs, Legião Urbana, Roupa Nova e Sempre Livre. Foram usadas nas filmagens 40 maquetes para simular todos os movimentos de uma nave espacial.

Os personagens principais eram Urian (Eduardo Conde), Mercur (Gabriel Vannucci), Juna (Carmem Monegal), Lyra (Suzane Carvalho) e Big Halley (Castro Gonzaga). O robô Halleyfante, que acompanhava a família Halley nas viagens, chegou a participar da Turma do Balão Mágico. Confira a música-tema, composta pelo Roupa Nova:

Outra música foi “A Canção do Cometa Halley”, do grupo Família Chocolate. O vídeo abaixo é de uma apresentação do trio em 1985.

Apesar de a mania ser tão grande, quase ninguém enxergou a passagem do cometa pela Terra, nem aqui nem no hemisfério norte. O assunto foi sendo esquecido aos poucos. A revista “A Era dos Halley” parou de ser publicada em 1986 e, até chegarmos perto de 2062, não se deve falar muito sobre isso. Bom, pelo menos ainda dá para comprar a trilha sonora do musical da Globo no site da Som Livre.