Andam falando muito por aqui da beleza das torcedoras da Holanda e da Dinamarca. Mas justiça precisa ser feita. A Dinamarca não conquistou até hoje um título de Miss Universo. A Holanda tem uma única coroa, em 1989.  É o mesmo número que a África do Sul. A sul-africana Margareth Gardiner foi a vencedora do concurso em 1978. O curioso é que, à época, a África do Sul vivia sob o regime racista do apartheid, e Margareth, branca, recebeu a coroa das mãos da antecessora, Janelle Commissiong, de Trinidad-Tobago, a primeira negra a vencer o concurso.

Margareth não foi a primeira africana a usar a coroa. O Miss Universo aconteceu pela primeira vez em 1926. Mas, em 1935, o clima que antecedia a Segunda Guerra interrompeu concurso, que voltou apenas em 1952. Margareth foi a primeira africana a vencer o concurso em sua segunda fase. A primeira africana de fato a vencer o Miss Universo foi Charlotte Wassef, do Egito, coroada em 1935.

A segunda africana a ganhar o concurso em sua nova fase representava a Namíbia. Michelle McLean, que nasceu na cidade de Windhoek, foi coroada em 1992.

A última africana a vencer foi Mpule Kwelagobe, que ficou com o título em 1999, por Botsuana. Foi a primeira vez que uma negra africana foi eleita Miss Universo.