Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Curiosidades sobre a fauna brasileira

15 de julho de 2020

Em 1560, Anchieta escreveu uma longa carta com suas observações a respeito da fauna e da flora do Brasil. Leia alguns trechos:

“As onças são ’boas para se comerem’, a carne de macaco faz bem aos doentes e a dos papagaios, embora também recomendada, em alguns casos provoca prisão de ventre.”

“Não é fácil acreditar-se na extraordinária corpulência das sucuris. Engolem um veado inteiro e até animais maiores.”

“Os jacarés, lagartos que vivem do mesmo modo em rios, cobertos de escamas duríssimas e armados com agudíssimos dentes, também são enormes, de modo que podem engolir um homem.”

Entre os 200 países do mundo, apenas 17 são donos de cerca de 70% da flora e da fauna existentes no planeta. E, entre esses poucos, o Brasil aparece em primeiro lugar, dono da maior parte das florestas intactas da Terra e país mais rico em plantas e animais.

Países que têm o maior número de plantas e animais

 PlantasMamíferosPássarosRépteisAnfíbios
Brasil56.0005241.622468517
Colômbia51.0004561.815520583
Indonésia37.0005151.531511270
China30.0004991.244387274
México15.6004501.050717284

Os animais da fauna brasileira

Anta
É o maior mamífero brasileiro. Tem, em média, 2,10 metros de comprimento e 1 metro de altura. Algumas chegam a pesar 300 quilos. Suas patas dianteiras têm quatro dedos, e as traseiras,  três. Vivem  em matas  próximas a rios. Em cada gestação, a mamãe anta tem  apenas um filhote. Os machos demarcam seu território com montes de estrume, como fazem os cavalos.

Arara-azul
As araras-azuis são muito frágeis. Os pares são fiéis (só procuram outro parceiro quando um deles morre) e cada casal produz apenas um ou dois ovos por ano. Durante o período de reprodução, metade de todos os ovos costuma ser devorada por gambás, urubus e tucanos. Quando os filhotes nascem, até completarem 45 dias, ficam sujeitos a virar alimento de gavião. Há ainda outro problema. Como a fêmea bota um ovo hoje e outro daqui a cinco dias, o filhote mais novo nem sempre consegue disputar o alimento com o mais velho, e maior. Assim, acaba morrendo de fome nos primeiros dias. As que sobreviveram estão no Pará, no Amazonas e na região de confluência dos estados de Tocantins, Maranhão, Piauí e Bahia, e também no Pantanal, onde se concentra cerca de 70% do total da população. Há indicações de que, no passado, vive- ram ainda na Bolívia e no Paraguai, onde, porém, já estão extintas.

Baleia Jubarte
Conhecida como baleia cantora, ela chega ao Brasil com o inverno e só se despede quando o verão se aproxima. Todo ano, milhares de baleias jubartes deixam as regiões polares e procuram o mar azul-turquesa do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, no sul da Bahia. Ali, entre julho e novembro, cumprem todas as etapas de um belo caso de amor: com seu canto misterioso, os machos seduzem as fêmeas e eles se acasalam. Muitos filhotes, concebidos na temporada anterior, acabam nascendo em águas brasileiras,  converti- das num aconchegante berçário. Podem atingir 16 metros de comprimento e 29 toneladas de peso.

Capivara
O maior roedor do mundo (1,30 metro e 50 quilos) vive sempre próximo da água. Graças à sua capacidade de se reproduzir, conseguiu escapar da extinção. Tem duas ninhadas por ano, cada uma com seis filhotes.

Cateto
O cateto lembra um porquinho e tem uma mancha ao redor do pescoço que parece um colar branco. Seu tamanho varia entre 90 centímetros e 1 metro, e o peso, entre 20 e 25 quilos. Sua carne é bastante apreciada, por isso os catetos enfrentam o perigo da extinção. Nascem dois em cada ninhada. Embora se alimentem de alguns animais, são basicamente vegetarianos.

Cervo-do-pantanal
É a maior espécie de cervo sul-americano, com comprimento variando entre 1,80 e 1,90 metro. Chega a pesar 150 quilos. Vive perto da água (especial- mente no Pantanal e na ilha do Bananal), deslocando-se com habilidade em terrenos pantanosos por causa da estrutura de seus cascos. Detesta carne  e prefere fazer seus passeios durante o dia. A galhada (chifres) do macho chega a medir 60 centímetros.

Ema
A maior ave brasileira pode atingir 1,70 metro e 34 quilos.  O macho, cujo pescoço tem a base negra, choca os ovos (pesam cerca de 600 gramas), às vezes de várias fêmeas ao mesmo tempo. Quando dois machos com crias se encontram, eles se enfrentam. Quem vencer, fica com todos os filhotes.

Jaguatirica
Esse felino chega a medir 1,45 metro do focinho ao fim da cauda. Pesa até 16 quilos e vive em florestas tropicais, mas  não se aperta se tiver de morar em regiões secas. Prefere fazer seus passeios à noite, quando caça roedores, pequenos cervos, porcos selvagens, aves, répteis e peixes.

Lobo-guará
Típico animal do cerrado brasileiro. Seus pelos apre- sentam um tom dourado-avermelhado; ele tem pernas compridas e finas, e mede até 1,50 metro de altura. Alimenta-se de aves, roedores, raízes e frutas. Costuma só sair à noite. Corre risco de extinção por causa da destruição de seu hábitat e da crendice popular que diz que alguns de seus órgãos poderiam ser utilizados na cura de doenças, como a impotência sexual.

Mico-leão-dourado
É uma das espécies mais ameaçadas de extinção. Por isso, virou símbolo de uma campanha mundial para salvar as espécies nativas da floresta brasileira. O mico-leão-dourado  é bem pequeno: mede apenas 33 centímetros, fora a cauda. Vive na Mata Atlântica, principalmente na região do Rio de Janeiro. Seu cardápio inclui insetos e pequenos vertebrados, além de frutas. O mico-leão-da-cara-preta foi descoberto na ilha de Superagui, no litoral do Paraná, em 1990. Até então, sua existência era desconhecida pelos biólogos, apesar das histórias contadas por moradores da região.

Onça-pintada
É o maior felino das Américas, pois chega a medir 2,40 metros de comprimento. Para manter seu corpinho de 160 quilos em forma, alimenta-se, ao anoite- cer, de mamíferos (capivaras, veados, jacarés e porcos-do-mato), répteis e peixes. Hábil pescadora e boa nadadora, habita desde regiões de florestas até áreas semidesérticas, mas sempre perto da água. Tem medo do homem e só ataca quando é atacada.

Paca
Roedor com corpo comprido e pelagem marrom. Tem 70 centímetros de comprimento e pesa aproximadamente 10 quilos. Vive longe das cidades. Sua carne é bastante apreciada, o que a inclui no grupo de espécies ameaçadas.

Peixe-boi
É o maior mamífero fluvial do planeta, alcançando 4 metros de comprimento e 800 quilos. Até os anos 1940, seu couro, muito grosso, era usado em correias de máquinas, havendo registro de 200 mil peles comercializadas no período. A espécie é protegida por lei desde 1967. O peixe-boi amazônico vive cinquenta anos e é a menor das três espécies existentes (3 metros de comprimento e 500 quilos). É também a única que só vive em água doce e não possui unhas nas nadadeiras. Um peixe-boi come, por dia, até 10% de seu peso.

As fêmeas têm uma gestação de 13 meses, com um intervalo médio de quatro anos. Nasce um filhote de cada vez e ele é amamentado por dois anos. O nasci- mento do primeiro peixe-boi em cativeiro foi come- morado com muita festa. Afinal, a procriação em cativeiro é bem difícil e é importante na luta contra a extinção dessa espécie. O filhote nasceu no dia 8 de abril de 1998, em Manaus, com 80 centímetros e pesando 9 quilos. É filho de Boo, uma peixe-boi que vive há 24 anos em cativeiro. O nome do recém-nascido foi escolhido num concurso que recebeu mais de quinhentas sugestões. Venceu Erê, que significa “alegria” em tupi-guarani, uma ideia da garota Gisele Pinheiro, de dez anos.

Queixada
O nome veio do costume do bicho de bater os dentes, que aterroriza quem não o conhece. É o maior porco-do-mato brasileiro (1,05 metro e 30 quilos). Sua cor é preta, mas os lábios, a base da mandíbula e a garganta são brancos. Ataca homens.

Seriema
Uma das marcas registradas dessa ave é o seu canto ao entardecer. Tem também um topete sobre o bico. Suas pernas finas e compridas lhe conferem uma altura de 90 centímetros; pesa 1,5 quilo. Embora sejam aves terrícolas, as seriemas fazem seus ninhos em árvores, a 4 ou 5 metros do solo. Alimentam-se de insetos, aranhas, lagartixas e roedores. Às vezes, incluem cobras em seu cardápio.

Tamanduá-bandeira
Mede 2,15 metros, 90 centímetros só de cauda. Ele anda cerca de 1,5 quilômetro por dia para encontrar comida. Gosta de comer formigas e cupins. É banguela, uma exceção entre os mamíferos. Pega os bichinhos enfiando sua língua grudenta e comprida (de 40 a 60 centímetros) em suas casas. Mora no cerrado, em florestas úmidas e em savanas. Os tamanduás dormem com a cauda sobre a cabeça. Como não enxergam bem, dá para chegar a uma distância de cerca de 5 metros deles. É preciso ir contra o vento, para que eles não ouçam o barulho dos passos.

Tartaruga marinha
Das oito espécies de tartarugas marinhas existentes em todo o mundo, cinco vivem e se reproduzem no Brasil. São elas: cabeçuda, tartaruga-de-pente, Lepidochelys  olivacea, tartaruga-verde (ou aruanã) e tartaruga-de-couro. Exploradas durante décadas, hoje elas lutam contra a extinção. A cada mil nascimentos, apenas uma  ou  duas  tartarugas marinhas sobrevivem.

 TamanhoPesoOnde se encontram
Cabeçuda1m180kgtodo o litoral
Tartaruga-de-pente78 a 90cm150kglitoral baiano
Lepidochelys olivacea65cm60kgpraia de Pirambu (SE)
Tartaruga-verde1m300kgFernando de Noronha, atol das Rocas e ilha da Trindade
Tartaruga-de-couro2m800kglitoral capixaba

Tatu-canastra
O canastra é o maior exemplar vivo de sua espécie no mundo, chegando a medir 1,50 metro do focinho à cauda. O bicho é gordinho (60 quilos). Quando a fome aperta, ele cava com agilidade à procura de comida. O terceiro dedo de suas patas é grande e tem uma unha bastante desenvolvida. Vermes, insetos e larvas, além de aranhas, cobras e principalmente cupins, fazem parte de sua dieta. No  interior, costuma-se dizer que o tatu-canastra desenterra e come mortos nos cemitérios.

Tuiuiú
Símbolo do Pantanal, o tuiuiú é a maior ave voadora do Brasil. Mede 1 metro e pesa 8 quilos. Ele precisa de espaço para decolar. A exemplo do urubu, o tuiuiú também se alimenta de restos de animais.

Conteúdo extraído do livro “O Guia dos Curiosos-Brasil”

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Por que a abelha morre ao picar uma pessoa?

Por que a abelha morre ao picar uma pessoa?

As espécies nativas ou brasileiras, como jataí, mandaçaia e arapuá, não possuem ferrão e, portanto, não oferecem perigo. Já as européias, que posteriormente foram cruzadas com as africanas e hoje recebem o nome de "africanizadas", são muito perigosas! Algumas delas...

Roupinhas de “Round 6” para cães e gatos

Roupinhas de “Round 6” para cães e gatos

A loucura que tem sido o sucesso de "Round 6" ("Squid Game", no original), série sul-coreana exibida pela Netflix, chegou ao mundo pet. A Canis Club, marca de roupas para animais de estimação de Hong Kong, saiu na frente. Lançou as indumentárias verdes dos...

Como saber se uma aranha é venenosa?

Como saber se uma aranha é venenosa?

Todas as espécies de aranhas têm veneno. Elas são caçadoras, principalmente de insetos, e usam o veneno para capturá-los. Entre as milhares de aranhas do mundo, apenas algumas têm veneno forte o suficiente para causar algum dano aos humanos. E, ao contrário do que...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This