A exemplo dos lobos, os cachorros, que são seus descendentes, também se comunicam pela voz. Eles não conseguem uivar, mas latem. Cada latido tem um significado diferente. Existem latidos específicos para medo, raiva, fome, paquera e muito mais. Outra maneira muito importante de comunicação é pelo xixi. Os cachorros urinam em vários locais como postes, árvores e rodas de carro. Isso serve para deixar sua marca. Quando passa e sente o cheiro, o outro cachorro sabe que aquele pedaço “já tem dono”.

Tem mais: para se comunicar, os cães cheiram os traseiros uns dos outros. Eles possuem um olfato altamente desenvolvido. Estima-se que seu focinho seja entre 10 mil e 100 mil vezes mais sensível do que o nariz humano. Ao encostar seus focinhos no bumbum de outro cão, eles coletam uma grande quantidade de informações sobre o animal – tipo de comida consumida, gênero e até o estado emocional. Esta linguagem química é composta de vários ácidos graxos voláteis e o aroma pode mudar de acordo com a genética e o sistema imunológico do animal.