Acredite se quiser: desde 1963, a London Walks, uma empresa de turismo londrina, oferece um tour pelos pontos da cidade onde Jack, o Estripador, deixou suas marcas. Localizada a apenas 6 quilômetros da Vila Olímpica, que abrigará os atletas dos Jogos de 2012, a região de Whitechapel foi, em 1888, o cenário do brutal assassinato de cinco mulheres que se prostituíam.Bairro londrino de Whitechapel

Whitechapel – Wikipédia, a enciclopédia livre

No tour, os visitantes são conduzidos aos becos e corredores aterrorizantes onde o serial killer seduzia suas vítimas. Os guias, especialistas em Jack, o Estripador,  já pesquisaram e escreveram livros sobre o assunto. Para aumentar ainda mais a tensão e imprimir tom realístico ao passeio, a empresa tem suas estratégias: inicia o tour à noite, aceita um máximo de 20 pessoas por grupo e distribui fotos vitorianas das ruas que vão sendo visitadas. Aos sábados, há um sessão matinê, às 3 da tarde, para os mais medrosos.

O programa, que dura cerca de 2 horas, sai ao preço de 8 libras (23 reais) por pessoa. No trajeto, estão previstas visitas ao prédio onde morava Michael Ostrog, principal suspeito dos assassinatos, ao beco aonde Jack levava suas vítimas, ao bar onde a primeira vítima foi vista pela última vez e o convento ao qual a última mulher a morrer nas mãos do estripador pediu abrigo pouco antes do crime.

No fim do século XIX, a Inglaterra era a maior metrópole do mundo, e a rainha Victoria completava meio século de reinado. O distrito de Whitechapel contrastava com o restante da cidade. Era um reduto de drogados, bêbados e criminosos, onde viviam 76 mil habitantes em condições de pobreza. Era lá que se concentravam os imigrantes, que sofriam preconceito por competirem com os ingleses por empregos. Passados 126 anos sobre os crimes, Jack, o Estripador pode ser ...

Em meio à superpopulação, as pessoas lutavam pela sobrevivência. Para os mais pobres (cerca de 8.500 pessoas), havia 233 alojamentos no bairro. Uma cama de casal custava 8 centavos de libra (24 centavos de real), uma de solteiro saía por 4 centavos (12 centavos de real). Quem não podia pagar pelas camas podia dormir em pé, encostado em uma corda, pelo valor simbólico de 2 centavos de libra (6 centavos de real). As mulheres solteiras passavam por dificuldades de sustento. A necessidade de alimentar os filhos e de poder pagar por uma cama no fim do dia fez com que muitas delas apelassem para a prostituição. Jack, o Estripador, apareceu no lugar certo e na hora certa. Ele apavorou a população, que já penava com as baixas condições de vida, o desemprego, o preconceito e a fome.Vetores de Quartos De Dormir No Abrigo Das Mulheres Do Exército De ...

Os ataques às prostitutas de Whitechapel ocorreram entre os dias 31 de agosto e 9 de novembro de 1888. A brutalidade do assassino e o fato de a imprensa de Londres já estar consolidada fizeram de Jack, o Estripador, um dos mais famosos serial killers do mundo. O jornal “The Star” chegou a vender 232 mil exemplares por dia nos meses dos crimes. Foi esse veículo que sugeriu que os três primeiros assassinatos foram cometidos pela mesma pessoa. Graças a uma carta enviada a uma agência de notícias londrina assinada por “Jack, o Estripador”, o antes “Assassino de Whitechapel” ganhou seu mundialmente famoso apelido.

The Illustrated Police News - Wikipedia

Jack, o Estripador, retalhava os corpos de suas vítimas, expondo suas vísceras e retirando seus órgãos genitais e membros.  A primeira delas foi Mary Ann Nichols, conhecida como “Polly”, morta em 31 de agosto. No dia 8 de setembro, Jack matou Annie Chapman e, no dia 30 do mesmo mês, Elizabeth Stride e Catherine Eddowes. Sua última vítima foi Mary Jane Kelly, em 9 de novembro.

Relatório policial da morte de Mary Ann Nichols