Cadetes da Academia de Força Aérea russa desenvolveram nos últimos três anos um robô espião disfarçado de pedra.

Um vídeo da rocha espiã camuflada, em funcionamento, foi exibido na semana passada. Ela tem o tamanho de um jabuti. A rocha deslizava em um terreno gramado, com suas rodas de tanque de guerra em miniatura, com uma minicâmera saindo de seu topo. “Devido ao seu disfarce e capacidade de mudar de posição, pode ser útil na guerra de trincheiras”, comentou um especialista.

A rocha espiã tem bateria de 24 horas, com capacidade de coletar, processar e transmitir informações por 15 horas. Um operador humano deve estar em um raio de 2 quilômetros para operar a traquitana.

A ideia parece ter sido tirada de uma pedra de espionagem britânica, encontrada em um parque de Moscou pelo serviço secreto russo. Um “traidor” russo foi visto perto da rocha, transmitindo informações confidenciais. O caso acabou numa crise diplomática. A diferença era que a pedra espiã dos britânicos não andava. Fica sempre no mesmo local.