A criação da Fanta é fruto do improviso e da necessidade. Em 1939, durante a Segunda Guerra Mundial, sanções e bloqueios do regime nazista fizeram com que as 43 fábricas alemãs da Coca-Cola não conseguissem receber o xarope de cola, ingrediente principal na preparação do refrigerante. A operação da Coca-Cola na Alemanha, com 600 centros de distribuição, era a segunda maior do mundo. Para suprir essa falta, a Coca-Cola da Alemanha passou a estudar possíveis novas fórmulas que usassem apenas matérias-primas encontradas no país.

Depois de algumas tentativas, o químico alemão Dr. Schetelig conseguiu produzir uma bebida feita de fibras de maçã, que tinha uma coloração amarela e um leve sabor da fruta. O nome nasceu de um concurso realizado dentro da empresa: o vendedor Joe Knipp sugeriu uma redução da palavra “Phantastischen” (“fantástico” em alemão).

Entre o final da guerra e 1955, usou-se a marca Fanta apenas o suficiente para não perder o registro. Ela só foi ressuscitada no lançamento de um refrigerante que misturava malte e laranja criado pela Coca-Cola italiana em abril de 1955. Fez tanto sucesso que foi conquistando o mundo e chegou aos Estados Unidos em 1959. No Brasil, a Fanta Laranja foi lançada em dezembro de 1964 e a Fanta Uva, em julho de 1970.