Quem procura a empresa Reckitt perguntando qual é o significado da sigla do inseticida SBP irá receber a resposta: Sistema Brasileiro de Proteção. Pois eu achei esse nome terrível (e não só contra os insetos). Bom, tem gente que acha que é “Saiam Baratas e Pernilongos”, que é mais estranho ainda. Perguntei se havia isso escrito em algum lugar, pois eu mesmo não encontrei o registro da tal marca Sistema Brasileiro de Proteção, e a resposta foi “não”.

O SBP foi lançado em 1974 pela Refinações de Milho Brasil. Durante um bom tempo, o SBP era o segundo produto mais vendido da empresa, só perdendo para a Maizena. A marca foi vendida para a Clorox em 1995 e, em 2003, passou para o portfólio da Reckitt, multinacional com mais de 200 anos de história, nascida da fusão de uma empresa britânica e outra holandesa. É a maior produtora mundial de produtos de limpeza e também atua na área de higiene pessoal. A Reckitt está completando 100 anos no Brasil agora em 2023. Ela começou aqui com o nome de Atlantis.

Apesar de todo o empenho da equipe de marketing, a Reckitt não encontrou em seus arquivos um documento, um registro desse tal nome – Sistema Brasileiro de Proteção. Passou apenas oralmente de uma empresa para outra. E acabou virando a versão oficial.

Mas eu consegui finalmente acabar com esse mistério. Não é Sistema Brasileiro de Proteção. O pesquisador Fernando Guimarães, de Porto Alegre, mandou a resposta.  O princípio ativo do inseticida é o SBP-1382,  descoberto nos Estados Unidos nos anos 1960, que possui reduzidíssimo índice de toxicidade entre mamíferos. Foi uma revolução no mercado de inseticidas. O SBP-1382 ganhou esse nome porque foi desenvolvido por uma empresa americana, criada em 1914, em Marion, na Carolina do Norte, chamada S.B. Penick & Company. Seu fundador foi o farmacêutico Sydnor Barksdale Penick. Suas iniciais? SBP.