Por milhares de anos, a proteção menstrual era uma faixa de algum material macio e absorvente preso por cordões e cintas. Durante a Primeira Guerra Mundial, surgiram as toalhinhas higiênicas, faixas de tecido atoalhado, que, depois de utilizadas, eram lavadas. Apesar de relativamente seguras e econômicas, elas foram um terror para as mulheres: eram grossas, largas e ficavam ásperas depois de algumas lavadas.

Modess – Na década de 1930, a Johnson & Johnson lançou o Modess, o primeiro absorvente descartável. Passou a ser importado dos Estados Unidos em 1933 e só a partir de 1945 foi fabricado no Brasil. A empresa criou uma conselheira feminina, Anita Galvão, que respondia a milhares cartas de mulheres que, em sigilo, pediam conselhos íntimos, livretos educativos e orientação sobre questões sexuais. A marca Modess virou sinônimo de absorvente íntimo feminino.

Tampax – O médico americano Earle C. Haas teve a ideia de utilizar o princípio do tampão cirúrgico para minimizar os incômodos da toalha higiênica usada pelas mulheres durante a menstruação. Em 1931, ele entrou com o pedido de patente dos tampões Tampax, registrada dois anos depois. A patente foi vendida por ele para a imigrante alemã Gertrude Tendrich em outubro de 1933 por 32 mil dólares. O produto foi lançado em 1936. Uma campanha de informação sobre a menstruação feminina começou a divulgar o princípio do absorvente interno, até então pouco conhecido do público. Sua utilização se espalhou pelo resto do mundo depois da Segunda Guerra Mundial.

O.B.– Em 1947, na Alemanha, o engenheiro Carl Hahn e o advogado Heinz Mittag tiveram a ideia de lançar absorventes internos no mercado, mas esbarraram na falta de papelão, que seria usado na fabricação de aplicadores iguais ao do absorvente Tampax. O Tampax dominava então o mercado, mas não estava disponível na Alemanha do pós-guerra. Hahn e Mittag procuraram ajuda e foram indicados à ginecologista Judith Esser-Mittag. Judith amava natação e estava insatisfeita com os absorventes externos que não podiam ser usados na água e com os que não se adaptavam tão bem ao corpo da mulher.

O novo produto foi lançado em 1950 com o nome de “Tampão O.B.”. Chegou ao Brasil em 1974, pelas mãos da Johnson & Johnson, que havia comprado a empresa alemã naquele mesmo ano. O nome O.B. corresponde às iniciais de duas palavras alemãs – ohne Binde -, que nesse caso quer dizer “sem almofada absorvente”.