IV CENTENÁRIO

  • Um dos pontos altos das festividades foi a inauguração do parque do Ibirapuera, em 21 de agosto de 1954. O Monumento às Bandeiras e a nova Catedral da Sé também foram entregas à cidade na ocasião.
  • O samba era mal-visto pelos paulistanos da época. Mesmo assim, entre os inúmeros shows realizados, houve uma apresentação de Pixinguinha.
  • A comissão responsável pela festa contratou duas empresas para organizar a passagem de 11 carros alegóricos pelas principais avenidas da cidade, mas o desfile acabou sendo um desastre. O cortejo demorou horas para aparecer, e quando despontou na avenida São João, os foliões revoltados começaram a gritar “quebra, quebra”.
  • Os cenários e figurinos das apresentações de balé realizadas durante as comemorações foram assinados por artistas renomados, como Cândido Portinari e Di Cavalcanti.
  • O autor do hino do Quarto Centenário não era paulistano. Mário Zan nasceu em Veneza, na Itália, e se mudou com a família para o Brasil quando tinha 4 anos.