Na falta de uma ideia nova, o remake é sempre a melhor solução. Ou, em muitos casos, a mais segura. Pode ser o remake de um filme, de game, de uma novela… Dá para perceber que está acontecendo mesmo uma onda de remakes entre os produtores de séries nos Estados Unidos. Nos últimos três anos, surgiram novas versões de “Knight Rider” (1982), “V” (1984) e “La Femme Nikita” (1997), só para citar alguns exemplos. Notas publicadas em revistas americanas indicam que estão para sair da prancheta  outros dois remakes: Os Monstros e Mulher-Maravilha.
“Os Monstros” (The Munsters), de 1964, é uma série de comédia que mostra a vida de uma família macabra. Foi a maior concorrente de “A Família Addams”, que estreou uma semana antes. Já ganhou cinco filmes e um remake chamado The Munsters Today (Os Monstros Hoje) em 1988. A versão que está para ser lançada será criada por Bryan Fuller, que ficou conhecido por Star Trek: Voyager e Star Trek: Deep Space Nine, spin-offs (tramas paralelas) da aclamada Star Trek, e Pushing Daisies, série indicada doze vezes ao Emmy.
Já a série “Mulher-Maravilha” (Wonder Woman), de 1975, é baseada nos quadrinhos de mesmo nome da DC Comics e retrata as aventuras da heroína contra os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. O roteirista David E. Kelley, especializado em séries jurídicas, como “The Practice”, está escrevendo uma versão para aprovação da Warner Bros.
Uma das maiores diversões de fãs de séries é comparar original e releitura. Quais as diferenças entre cada versão? Vamos pegar as aberturas de “Os Monstros” para uma comparação: “The Munsters Today” se passa em 1988, depois de os personagens da família terem passado mais de 20 anos dormindo. A abertura é bem fiel à dos anos 1960, só que colorida e mais dançante. O que esperar do novo remake?