André Carneiro foi poeta, fotógrafo, cineasta, artista plástico, publicitário, crítico e até hipnotizador clínico. E é o homenageado do especialista Sílvio Alexandre.

É considerado um dos mais importantes escritores brasileiros de ficção científica. Foi publicado em dezessete países. Seus dois romances “Amorquia” e “Piscina Livre” mostram uma provocadora visão do futuro que nos obriga a repensar o presente. Seu ensaio “Introdução ao Estudo da Science Fiction” foi o primeiro estudo em português a discutir alguns dos principais temas relacionados à ficção científica.

Na fotografia, André Carneiro foi um dos primeiros fotógrafos artísticos do Modernismo brasileiro. A fotografia “Trilhos”, de 1951, um dos marcos do Modernismo fotográfico no Brasil, está na Tate Gallery, em Londres, em exibição permanente, e no MoMA, de Nova York.

Como cineasta, André Carneiro recebeu vários prêmios. Entre seus filmes, “Estudo de Continuidade e Movimento” representou o Brasil em mostras de cinema no Reino Unido, Itália, França e Holanda. Outro filme premiado, “Solidão”, representou o Brasil em 1951, em Glasgow, Escócia, sendo depois exibido na França e na Itália. Seu conto “O Mudo” foi transformado em roteiro do longa-metragem “Alguém”, de 1980, dirigido por Júlio Silveira, com Nuno Leal Maia e Myriam Rios.

Como artista plástico, André Carneiro criou a ‘Pintura Dinâmica”, técnica que usa líquidos químicos coloridos em compartimentos de vidros. Manuseados pelo espectador, eles produzem infinitas combinações. Também realizou exposições de “Poesia Colagem”, técnica com a qual criou várias capas de livros de autores brasileiros e ilustrou diversos de seus próprios poemas.

Em 1969, dirigiu os trabalhos no histórico “Simpósio de Ficção Científica”, um evento integrante do 2º Festival Internacional do Filme do Rio de Janeiro, André Carneiro contava com orgulho ter assistido ao filme “Metrópolis” ao lado de Fritz Lang, assim como “2001 – Uma Odisseia no Espaço” junto com Arthur C. Clark, convidados do festival, entre outros grandes nomes da literatura mundial de ficção científica.

Desde 2014, a Prefeitura de Atibaia, de São Paulo e o Instituto Garatuja promovem todo mês de maio a Semana André Carneiro, evento oficial da cidade para homenageá-lo. Em 2018, foi criado o Centro Cultural André Carneiro, para abrigar este evento.