Chucky, o Boneco Assassino, está completando esta semana 25 anos de existência.  Ele teve sua primeira aparição nas telonas em 1988 e, desde então, a série da qual é protagonista já contabilizou seis filmes (Chucky – O Boneco Assassino I (1988), Chucky – O Boneco Assassino II (1990) , Chucky – O Boneco Assassino III (1991), A Noiva de Chucky (1998), O Filho de Chucky (2004) e A Maldição de Chucky (2013, apenas em DVD). Somadas, as cinco versões cinematográficas arrecadaram nas bilheterias um total de  127 milhões de dólares. Em homenagem a esse clássico dos cinemas, o Blog do Curioso preparou uma lista com 25 curiosidades:

CHUCKY, O BONECO ASSASSINO
1. O primeiro esboço da série foi escrito por Don Mancini em 1985, quando o autor ainda estava no penúltimo ano de faculdade. Em entrevistas, ele afirmou que a sua intenção com a obra era fazer uma crítica ao mundo da propaganda na década de 80 e alertar os pais sobre os efeitos negativos da publicidade sobre as crianças. E isso não aconteceu por acaso: o pai de Mancini trabalhou como publicitário durante muitos anos.

2. As duas principais inspirações para Mancini foram o filme Gremlins (1985),  produzido por Steven Spielberg e que tinha como protagonistas bonecos animados, e os comerciais de Cabbage Patch Kids, bonecos que fizeram grande sucesso nos EUA durante a década de 80.

3. O título original da série era “Batteries Are Not Included (em português: Pilhas não estão incluídas), mas tal nome já estava sendo utilizado pelo diretor Steven Spielberg em um de seus filmes. Depois disso, Mancini passou a chamar o boneco de “Buddie”, o que daria à franquia o nome de “Bloody Buddy” (amigo de sangue).

4. Nas filmagens, o roteiro escrito por Mancini sofreu algumas modificações. Na história original, o boneco não estaria possuído pelo espírito de um serial killer. Na verdade, ele seria a manifestação da raiva inconsciente do garoto Andy e agiria apenas quando o menino estivesse dormindo. Os produtores, porém, preferiram deixar de lado o apelo psicológico e dar mais atenção à divisão entre os conceitos de bem e mal.

5. Outra modificação do roteiro: Mancini queria deixar o espectador a dúvida de quem seria o verdadeiro assassino, o garoto ou o boneco. No entanto, os produtores acharam a ideia muito chocante, e preferiram deixar clara a maldade do boneco já no início do filme.

6. Ao longo da saga, Chucky foi ganhando cada vez mais aspectos humanos. Até barba e bigode nasceriam no rosto do boneco. Mais tarde, porém, a ideia foi descartada.

7. No primeiro filme, o assassinato de Maggie, amiga da mãe de Andy, que toma conta do garoto por uma noite, deveria ter acontecido dentro de uma banheira. A ideia, porém, só foi utilizada no filme A Noiva de Chucky. 8. O nome do serial killer cujo espírito dava vida a Chucky era Charles Lee Ray. Segundo Mancini, a ideia partiu de um dos produtores, David Kirschner. Na infância, ele tinha muito medo de três famosos assassinos americanos: Charles Manson, Lee Harvey Oswald e James Earl Ray.

9. Ao longo da série, Chucky matou 33 pessoas. Nenhuma era criança. No terceiro filme, o boneco só matou homens, sendo o único da franquia em que ele não mata mulheres. Já o quarto, A Noiva de Chucky, conta com o maior número de vítimas: doze. Enquanto isso, a edição com menos mortes é a primeira, com seis.

10. O suéter utilizado pelo boneco é feito manualmente. Cada um leva uma semana para ficar pronto.

11. O boneco funciona com a tecnologia de “animatronics”. Em grande parte das cenas, ele é controlado por sensores e por até cinco pessoas que ficam manuseando-o como se fosse uma marionete.

12. Apesar de o boneco ser verdadeiro, e não um produto da computação gráfica, em algumas cenas ele é substituído por atores de verdade. Além disso, ele também já foi feito pela irmã mais nova do ator Alex Vincent na cena em que Chucky corre atrás de Maggie no primeiro filme.

13. Por filme, nove versões do boneco eram utilizadas, cada uma em uma situação diferente. Os movimentos dos olhos e de parte do rosto eram acionados por controle remoto.

14. A voz de Chucky pertence ao ator Brad Dourif, que já atuou na série O Senhor dos Anéis, no papel de  Grima Wormtongue.

15. A aparência de Chucky – cabelo ruivo, sardas e olhos azuis – estava no roteiro original de Don Mancini. O desenho, no entanto, foi feito por David Kirschner, enquanto a parte mecânica acabou desenvolvida por Kevin Yagher.

16. John Waters, ator e roteirista das versões de Hairspray em 1988 e 2007, tinha um grande sonho: ser assassinado por Chucky. É por isso que, no quarto filme da série, O Filho de Chucky, Don Mancini convidou-o para interpretar o papel de Pete Peters, morto com ácido sulfúrico pelo boneco.

17. Em A Noiva de Chucky, durante a cena na sala de evidências, são filmados diversos objetos pertencentes a outras sagas de filmes de terror. São eles: a máscara de Michael Myers em Halloween, a máscara de Jason em Sexta-Feira 13 e a garra do temível Freddy Krueger em A Hora do Pesadelo.

18. O Filho de Chucky conta com algumas referências a outros filmes de terror:  Chucky quebra a porta com um machado (O Iluminado); Tiffany é atacada na banheira (Psicose); e o assassino começa o filme subindo as escadas (Uma Noite de Halloween).

19. Em A Noiva de Chucky, um dos personagens chama-se Damien, numa clara homenagem ao clássico do terror A Profecia

20. Alex Vincent, que interpretou o garoto Andy, primeiro dono de Chucky e perseguido pelo boneco nos três primeiros filmes, contou em entrevista recente que travou durante os testes para o papel de seu personagem. Isso porque em seu texto havia a seguinte fala: “Ela era uma puta e teve o que mereceu”. Com apenas 6 anos de idade, o ator não queria dizer o palavrão na frente de sua mãe, que estava presente no estúdio.

21. Em agosto de 2013, o cartão de crédito Visa lançou uma propaganda cujo protagonista era o boneco Chucky.

22. Em O Filho de Chucky, os bonecos contaram com o trabalho de 53 pessoas para serem construídos, de sete para caregá-los pelos sets de filmagem e de quinze para manipulá-los durante as gravações.
23. O cantor Simon Stokes e o compositor Joe Renzetti gravaram uma música-tema para o encerramento do primeiro filme, mas os produtores descartaram-na, afirmado que ela retiraria o aspecto sombrio do boneco.

24. O primeiro filme foi orçado em 9 milhões de dólares e faturou cerca de 33 milhões de dólares. Foi o único  da série produzido pela MGM. As sequências tiveram os direitos adquiridos pela Universal.
25.  Um dos slogans utilizados pelos cinemas no lançamento do primeiro filme era: “Quando as pessoas têm pesadelo, elas sonham com o Freddy Krueger. Quando Freddy tem pesadelos, ele sonha com Chucky”.