COPA DO MUNDO DE 2014

1. O Brasil estreou a Copa do Mundo com um dado estatístico histórico: o lateral Marcelo marcou o primeiro gol contra da Seleção Brasileira na história das Copas. Ao longo do Mundial, foram registrados outros quatro gols contra. A marca só é superada pela Copa de 1998, na França, que contabilizou 6 gols contra.

2. A Copa 2014 mal começou e um recorde absoluto foi quebrado – nunca a rede balançou tanto em uma primeira rodada de Copa do Mundo: foram 49 gols. Trata-se de uma média de 3,06 gols por partida, a maior desde 1958.

3. Não houve um único empate nos 10 primeiros jogos da Copa 2014. Quem quebrou a regra foram Irã e Nigéria, que ficaram no 0 x 0. Só o primeiro Mundial da FIFA, em 1930, no Uruguai, supera o feito: todos os 18 jogos do torneio tiveram um vencedor.

4. Na centésima partida do Brasil em Copas do Mundo (Brasil x Camarões, na primeira fase do torneio), Neymar marcou o centésimo gol da Copa 2014.

5. Ao golear a Coreia do Sul em partida pela primeira fase da Copa 2014, a Argélia se sagrou o primeiro país africano a marcar quatro gols em um jogo de Copa do Mundo.

6. Pela primeira vez na história das Copas, três campeões mundiais – Espanha, Itália e Inglaterra – foram eliminados na primeira fase do Mundial.

7. A Inglaterra só marcou um ponto na Copa 2014, ao empatar com a Costa Rica em 0 x 0. Foi a primeira vez desde 1958 que a seleção inglesa foi eliminada ainda na fase de grupos.

8. Pela segunda vez consecutiva, a Itália foi eliminada de uma Copa do Mundo na fase de grupos. A última vez que isso aconteceu foi nos anos 60, nos Mundiais de 1962 e 1966.

9. Apenas seis europeus (Alemanha, Holanda, França, Grécia, Suíça e Bélgica) avançaram para as oitavas-de-final. Foi a menor participação europeia desde que esse modelo foi adotado pelo Mundial da FIFA, em 1986.

10. Pela primeira vez na história das Copas, todos os oito primeiros-lugares da fase de grupos avançaram para as quartas-de-final: França, Alemanha, Brasil, Colômbia, Argentina, Bélgica, Holanda e Costa Rica.

11. Em jogo contra a Colômbia pelas quartas-de-final, o Brasil cometeu 31 faltas, um recorde da Seleção Brasileira em partidas de Copa do Mundo.

12. O goleiro norte-americano Tim Howard fez 16 defesas no jogo contra a Bélgica pelas oitavas-de-final da Copa 2014. Desde que esse número começou a ser contabilizado, em 1966, nenhum goleiro tinha defendido tantas bolas em um só jogo do Mundial. Apesar do desempenho de Tim Howard, os Estados Unidos acabaram perdendo por 2 x 1, e foram eliminados da competição.

13. O Brasil foi eliminado da Copa 2014 nas semifinais, pela Alemanha, depois de sofrer uma goleada de 7 x 1. Foi a maior derrota da história da Seleção Brasileira, o maior placar em uma semifinal de Copa do Mundo e o mais desastroso resultado enfrentado por um país-sede na história das Copas.

14. Ao marcar o quarto gol da vitória sobre o Brasil, nas semifinais da Copa 2014, o alemão Miroslav Klose chegou à marca de 16 gols feitos em Copas do Mundo. Ele superou o então recordista Ronaldo na artilharia da história das Copas.

15. Ao vencer o Brasil na semifinal, a Alemanha chegou à sua oitava final de Copa do Mundo. É a seleção que mais disputou o título do Mundial da FIFA.

16. A Copa 2014 ficou marcada pelo pior desempenho da defesa brasileira na história das Copas. Foram, ao todo, 13 gols sofridos ao longo do Mundial.

17. Fred destacou-se por apresentar a pior média de um centroavante brasileiro em Mundiais da FIFA. Ele marcou um único gol em seis jogos.

18. A Argentina chegou à semifinal de uma Copa do Mundo pela quarta vez na história. Em todas elas, os hermanos avançaram para a final.

19. Pela primeira vez na história das Copas, uma semifinal (Holanda x Argentina) terminou sem gols. Na disputa de pênaltis, a Argentina acabou levando a melhor sobre a Holanda.

20. A partir das oitavas-de-final da Copa 2014, 13,3% dos chutes a gol balançaram a rede. É o maior aproveitamento dos chutes a gol da história das Copas, desde que esse número passou a ser contabilizado, em 1966.

21. No último jogo do Brasil na Copa 2014 – a disputa pelo 3º lugar contra a Holanda – o goleiro Júlio César levou o centésimo gol da Seleção em Copas e se sagrou o goleiro brasileiro mais vazado da história dos Mundiais. Foram 18 gols sofridos em duas edições do torneio.

22. O colombiano James Rodríguez, artilheiro isolado da Copa 2014 com seis gols, balançou a rede em todos os seus cinco primeiros jogos de Copa do Mundo. A marca não tinha sido atingida desde 1978, quando o peruano Teófilo Cubillas conseguiu o feito.

23. Apesar de ter exibido lances violentos, como a contusão de Neymar e a mordida do uruguaio Luis Suárez, a Copa 2014 terminou com o menor número de cartões vermelhos desde 1986. Foram apenas dez expulsões nas 64 partidas.

24. Compareceram aos estádios brasileiros 3.429.873 pessoas para assistir aos 64 jogos da Copa 2014. Trata-se de uma média de 53.591 espectadores por partida, a segunda maior da história do Mundial da FIFA. Só perde para a Copa de 1994, disputada nos Estados Unidos, que teve uma média de público de 68.991 pessoas por jogo.

25. Com 171 gols marcados, a Copa 2014 divide com o torneio da França, em 1998, o recorde de maior número de gols em um Mundial da FIFA.

26. O Mundial do Brasil atingiu também a maior média de gols por jogo desde a Copa de 1994, nos Estados Unidos. Foram 2,67 gols por partida.

27. Ao se sagrar campeã da Copa 2014, a Alemanha quebrou uma tradição: nunca antes um time europeu havia vencido um Mundial da FIFA em solo americano.

28. A Alemanha marcou 18 gols na Copa 2014. A última seleção a balançar a rede tantas vezes em uma Copa do Mundo foi justamente o Brasil, em 2002, ano em que conquistou o pentacampeonato.

29. Depois da campanha na Copa 2014, a Alemanha soma 224 gols marcados em Copas do Mundo, e se isola na artilharia do torneio, antes ocupada pelo Brasil, que agora tem três gols a menos.

30. É a terceira vez consecutiva que um time da UEFA vence a Copa do Mundo (2006 – Itália; 2010 – Espanha; 2014 – Alemanha). Nunca antes uma confederação tinha conseguido tal feito.

31. Mario Götze, que marcou o gol do título alemão, é, com 22 anos e 40 dias, o mais novo a marcar numa final de Copa do Mundo desde 1966. Ele é também o primeiro reserva da história das Copas a marcar o gol do título.

32. Oito jogos da segunda fase do torneio foram decididos na prorrogação ou na disputa de pênaltis – mais do que em qualquer outra edição da Copa do Mundo, desde 1986, quando foi adotado esse sistema de campeonato.