Arthur FriedenreichUm dos monstros sagrados do futebol brasileiro. Centroavante de técnica primorosa, malicioso, hábil e, sobretudo, criativo.

Ninguém sabe quantos gols ele fez ao certo. Seu companheiro de equipe Mário Andrada jurava que eram 1.239, mas o levantamento se perdeu. Um equívoco nos números fez com que o total subisse para 1.329, o que faria dele o maior artilheiro da história do esporte, superando até Pelé. A informação consta no Livro Guinness dos Recordes. O pesquisador Alexandre da Costa mostrou que ele é autor de 556 gols.

Jogou em clubes como Germânia, Mackenzie, Ypiranga, Paulistano (extintos times paulistas) e São Paulo, conquistando sete títulos paulistas e sendo nove vezes artilheiro estadual (1912, 1914, 1917, 1918, 1919, 1921. 1927, 1928 e 1929). Fez 22 partidas pela Seleção: marcou dez gols, foi bicampeão sul-americano em 1919 e 1922. Ganhou o apelido de “El Tigre” da imprensa Argentina durante o Sul-americano de 1916, disputado em Buenos Aires. Encerrou a carreira em 1935, aos 43 anos, fazendo jogos de exibição pelo Flamengo.