Muitos apelidos de times brasileiros foram criados inicialmente como ofensas feitas pelos adversários e depois acabaram sendo adotados pelos próprios torcedores, casos do Urubu com o Flamengo e do Porco com o Palmeiras. A história do “Coxa-Branca” do Coritiba também é assim.

Na final do Campeonato Paranaense de 1941, o primeiro decidido com um Atle-Tiba, o torcedor Jofre Cabral e Silva – que se tornaria presidente do Atlético Paranaense em 1967 – não se conformava com a derrota e resolveu canalizar sua raiva no zagueiro alviverde Hans Egon Breyer, chamando-o de “alemão” e “quinta-coluna”. Irritado que Breyer não lhe dava ouvidos, Jofre começou a gritar sem parar: “Coxa-Branca! Coxa-Branca!”. Breyer nasceu na Alemanha em 1919 e essa era uma forma preconceituosa de se referir aos alemães num momento em que se vivia a Segunda Guerra Mundial.

CORITIBA F C

O apelido acabou pegando. só que o que era para se transformar numa afronta virou motivo de orgulho para a torcida. Em 1969, o termo foi adotado pelos torcedores – para alegria do próprio Breyer. O Coritiba foi campeão paranaense naquele 1941. Degostoso com o apelido, Breyer acabou deixando o futebol em 1944. Breyer morreu em 2001. Em sua lápide, no Cemitério Água Verde, está escrito: “Hans Egon Breyer – O Coxa-Branca”.

Por que o time se chama Coritiba e a cidade, Curitiba?