JOGO SUJO LIVRO 
Em dezembro de 2012, o jornalista escocês Andrew Jennings – considerado “o inimigo número 1 da FIFA” – passou por São Paulo para uma série de palestras e fez um bate-papo com leitores de seu livro, “Jogo Sujo”, no auditório da Livraria Cultura, do Shopping Bourbon.  Na ocasião, fiz uma pergunta a ele sobre a expectativa de os torcedores brasileiros conseguirem garantir ingressos para a Copa do Mundo. Ele gargalhou e sugeriu: “Esqueçam. Melhor comprarem uma TV bem grande”. A menos um mês da Copa do Mundo, muitos brasileiros parecem que já estão conformados com isso.
No livro que acaba de lançar mundialmente, “Um Jogo Cada Vez Mais Sujo”, Jennings volta a atacar. Um dos capítulos do livro fala sobre os procedimentos suspeitos para venda de parte dos 3 milhões de ingressos disponíveis para os  jogos. Jennings escreveu: “Um cambista que entrevistei para a BBC me disse que ‘até 40% dos ingressos saem pela porta dos fundos da FIFA’. Isso me deixou boquiaberto. Eu achava que 10% era o máximo”.
Não foi só Jennings que ficou boquiaberto. No domingo passado, o programa “Fantástico”, da Rede Globo, mostrou um cambista do Rio de Janeiro com uma pilha de ingressos (a FIFA confirmou à emissora que eles eram verdadeiros). Eles custavam 20 vezes a mais que o valor oficial e o cambista falou que eles vinham do exterior, num grande sistema internacional. Veja a reportagem neste link.
A venda de ingressos funciona como uma grande caixa-preta. O Blog do Curioso enviou e-mail para a entidade, perguntando o número de brasileiros que havia se inscrito nos sorteios e quantos haviam sido sorteados. A FIFA não respondeu.
O que se sabe é que, dos 64 jogos que serão disputados no Mundial 2014, nove ainda têm lugares vagos. São partidas entre seleções de pouco apelo para a torcida. Além disso, a FIFA tem colocado diariamente alguns ingressos em seu site – raramente em São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. O slogan “Sou brasileiro, não desisto nunca” funciona apropriadamente para essa situação. É preciso passar horas em frente ao computador, esperando que um desses “pingados da Copa” apareçam. “Consegui comprar jogos de Espanha, Holanda, Inglaterra, Uruguai e as oitavas-de-final em São Paulo”, comemora o administrador Alex Mozol. “Mas tive que ficar com o site aberto o dia todo, atualizando a página de minuto em minuto. Quando os ingressos pintam na tela, o interessado deve jogá-lo bem rápido no carrinho de compras. Consegui a maioria deles no horário de almoço, por volta das 13 horas.” Se Alex teve sorte, o paulistano Vitor Alvarez não pode dizer o mesmo. “Estou acompanhando direto há uma semana e até agora nada”. De acordo com uma representa da FIFA, “não há um horário certo para comprar esses  ingressos; eles são colocados aleatoriamente.”
No dia de ontem, o Blog do Curioso fez um pequeno teste ao longo de seis horas e encontrou alguns ingressos (impossível saber quantos) para  jogos da Alemanha, França, Itália, Estados Unidos e Portugal. Às 10h49, apareceram ingressos na categoria 3 para Bélgica x Argélia e na categoria 2 para Suíça x França (quadradinhos vermelhos).

Embora apareça como disponível, na hora da compra, o ingresso muda de status e surge no sistema como  esgotado. Alguém foi mais rápido que você?

12H31

12h36

13h11

13h24 – Oitavas-de-Final

13h44

15h16

12h56 – No teste realizado ontem, este teria sido o único jogo que conseguiríamos comprar. O teste foi encerrado na hora do pagamento dos tíquetes.

INGRESSOS COPA\ DE 2014

No desespero, alguns torcedores acabam comprando ingressos destinados a cadeirantes, deficientes físicos, obesos e idosos. Um funcionário da FIFA, que está trabalhando no Centro de Distribuição de Ingressos em São Paulo, avisa que os espertinhos não terão sucesso.  “É obrigatório apresentar comprovante para retirada de entradas especiais ou não entregamos”, afirma. “Nós não apoiamos gambiarra”.  O discurso da FIFA é este mesmo. Todos os ingressos são pessoais e intransferíveis. Mas, a julgar pela quantidade de ingressos que já estão nas mãos dos cambistas, a realidade não será bem esta.