Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Programas de TV curiosos dos anos 1950 e 1960

10 de agosto de 2021
O especialista Magalhães Júnior mergulhou em seu acervo da história da TV para revelar curiosos programas das décadas de 1950 e 1960 que, se não marcaram época, criaram formatos que depois foram exaustivamente repetidos:

Prev 1 of 1 Next
Prev 1 of 1 Next

“Vai graxa, dotô?” e “Cadeira de barbeiro”

Dois programas de entrevista nos anos 1960 tinham toques de humor. O primeiro se chamava “Vai graxa, dotô?”. Foi apresentado em 1962 pela TV Excelsior. O comediante Walter Stuart era um engraxate, que entrevistava seu cliente (em geral, uma personalidade), enquanto dava lustro nos seus sapatos. Artistas, esportistas, cantores e políticos sentaram-se em frente à caixa de madeira e batiam um papo informal, com a dose certa de humor. O outro programa tinha praticamente a mesma pegada, mas já era conhecido do público. “Cadeira de barbeiro” foi criado por Aloysio Silva Araújo e exibido pela TV Paulista, canal 5, em 1963. O próprio Aloysio era o barbeiro italiano Papanatas, que conversava sobre a situação do país com seu cliente (um cliente interpretando um personagem ou alguma personalidade nacional). A barbearia de Papanatas tinha ainda uma manicure e um engraxate. Este programa foi revivido no final dos anos 1980 pelo ator Cacá Rosset, na extinta TV Manchete. Baseava-se na concepção de Aloysio Silva Araújo e tinha a atriz e cantora Lucinha Lins no papel de manicure.

“La Revue Chic”


Em 1962, Jô Soares estreou na TV, aos 24 anos, como roteirista de um dos programas mais famosos da época: o “Simonetti Show”, que misturava música e humor, com o maestro Enrico Simonetti à frente de sua orquestra. No ano seguinte, Jô estreava seu primeiro programa na TV Record: “La Revue Chic” (“A Revista Elegante” em português). O programa de variedades foi concebido, escrito e apresentado pelo Jô Soares. Tinha humor, jornalismo, entrevistas e até desfile de modas. Jô era coadjuvado pelo também ator e comediante Durval de Souza.

“O mundo é das Mulheres” e “Show de Mulheres”



Nos anos 1950 e 1960 havia muitas mulheres apresentando programas de televisão. Eram mulheres falando para mulheres em programas de culinária, moda, beleza, horóscopo. Bem, havia um programa apresentado por mulheres, mas que atraía, e muito, a atenção masculina, “Maiôs à beira-mar” (TV Paulista, 1963), mas isso é outra história. No final dos anos 1950, “O Mundo é das Mulheres”, na TV Paulista, tinha Hebe Camargo no comando e a colaboração de outras mulheres, como Heloisa Mafalda, Yara Lins, Branca Ribeiro e Riva Blanche. Elas entrevistavam personalidades masculinas de igual para igual. Em 1967, o “Show de Mulheres”, na TV Bandeirantes, tinha as vedetes Marivalda, Marly Marley, Célia Coutinho e Annik Malvil cantando, dançando, entrevistando e fazendo humor. A travesti Rogéria fazia participação especial também.

“Aliança (s) para o sucesso” 


Em 1963, a TV Record lançou um programa de variedades (música, humor, reportagens, entrevistas) chamado “Aliança para o sucesso”, sob o comando da deputada estadual Conceição da Costa Neves. Cinco anos depois, a mesma TV Record apresentaria o programa “Alianças para o Sucesso” (aliança no plural), apresentado por Paulo Planet Buarque. Era uma disputa entre três casais convidados. Na primeira parte, os maridos respondiam perguntas sobre as suas esposas e depois as mesmas eram confrontadas em suas respostas. Num segundo momento, era a vez de as mulheres responderem sobre os seus maridos.

“Esta é a sua vida”

Programa criado na TV Record em 1967 pelo jornalista Carlos Gaspar e repetido depois em diferentes épocas e emissoras. A ideia era apresentar a vida de uma personalidade com ela presente no palco, sem saber antecipadamente que seria homenageada. Os convidados eram surpreendidos pela presença de pessoas que fizeram parte da sua vida.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Os 50 anos do “Manual do Escoteiro Mirim” no Brasil

Os 50 anos do “Manual do Escoteiro Mirim” no Brasil

A Editora Abril lançou no Brasil o primeiro "Manual do Escoteiro Mirim" em julho de 1971. A edição de capa dura, com 13cm x 19,5cm, tinha um total de 264 páginas. A edição original - "Manuale delle Giovani Marmotte" - tinha sido publicada na Itália pela Editora...

Caubóis e dinossauros no Vale de Gwangi

Caubóis e dinossauros no Vale de Gwangi

Em 1969, Jim O'connolly dirigiu o filme “O Vale de Gwangi”. Ambientado no final do século XIX, no novo México, “O Vale de Gwangi" colocou, lado a lado, caubóis e dinossauros! O filme é estrelado por James Franciscus, que vive o papel do vigarista Tuck Kirby. O vilão...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This