Completando 20 anos do seu lançamento, “Shrek”, a animação da Dreamworks, é um fenômeno que cativou a imaginação dos fãs. A história é sobre um ogro que tem seu pântano invadido. Para recuperar a tranquilidade, ele precisa resgatar uma princesa e levá-la para o lorde responsável pela invasão. Shrek, nosso simpático ogro, trouxe um vigor formidável para o universo dos desenhos animados.

 

 

O filme foi inspirado em um livro infantil do cartunista americano William Steig, de 1990. O enredo do livro mostra Shrek sendo expulso de casa por seus pais ao atingir a maioridade. Afinal, é hora de o ogro tomar um rumo na vida. Ao longo do caminho, ele encontra uma bruxa, um dragão, um cavaleiro de armadura e, finalmente, uma princesa tão feia quanto ele. No final, eles se casam e vivem “horríveis para sempre”.

 

Shrek

 

A aparência da criatura de Steig é parecida com a dos filmes. A diferença é que, nos livros, ele é capaz de soltar laser pelos olhos. Shrek se tornou o primeiro vencedor do Oscar de Melhor Filme de Animação, em 2002. O sucesso garantiu ainda três sequências, especiais de Natal, spin-off e até musical. Os filmes da série Shrek têm um enredo irreverente, politicamente incorreto, cheio de ironia e sarcasmo. Faz paródias e apresenta lições de vida sobre auto aceitação e felicidade.
O filme faz dezenas de referências e citações à cultura pop. Só para citar algumas: a ponte que cai em “Indiana Jones e o Templo da Perdição”; Fiona luta como a Trinity, de “Matrix”; o Dragão imita o Tiranossauro Rex de “Jurassic Park”; a aliança de casamento de Fiona chega a seu dedo como em “O Senhor dos Anéis”. Pinóquio imita Tom Cruise em “Missão Impossível”. O beijo entre Shrek e Fiona é idêntico ao de Peter Parker e Mary Jane em “Homem- Aranha”. O Gato de Botas brinca com “Flashdance — Em Ritmo de Embalo”. O Gato de Botas sai da barriga de Shrek como em “Alien – o 8º Passageiro”.
“Vinte anos atrás, Shrek foi uma obra revolucionária”, afirma o especialista Sílvio Alexandre. “Ousou mostrar um final feliz para um ogro. Não só fez piadas da vida, como ironizou o ideal que as pessoas criam sobre a vida”. Em uma cena, Shrek diz para o burro que “os ogros são como as cebolas, eles têm camadas”. Uma boa metáfora para dizer quão distante somos daquilo que realmente aparentamos ser.